Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Sexta-feira, 30 de junho de 2017
ADOLESCENTE OU ABORRECENTE

Educar é uma missão sem par. É bastante difícil, pois se trata de moldar o caráter de um ser humano que conseguimos gerar e, portanto somos por ele responsáveis. Todas as fases da educação são importantes e cada uma mais complicada e difícil que a outra. Quem enfrentou a dura realidade de criar filhos e educá-los, sabe perfeitamente disso.

Apesar de todas as etapas serem difíceis, existe uma que é um desafio surpreendente para os pais: a adolescência. Se o alvo é homem, pior ainda, pois a influência machista é predominante. É uma necessidade de afirmação. Entretanto, é nesta fase que mais ralamos para conseguir entender o ser sob o nosso comando. É um conflito de ideias, o despertar de uma consciência nova que começa a encarar o mundo.

Putz! É difícil! Os conceitos são outros, o educando incorpora e descobre cada vez mais coisas diferentes. Cria-as estimulado por colegas. Constrói o seu próprio mundo e domínio, transformando-o numa verdadeira fortaleza. Pior de tudo, quando os pais passam a ser encarados como penetras, como inimigos, bisbilhoteiros, chatos, atrasados, caretas e outras tantas qualificações forjadas na irresponsabilidade social desse ser que mal saiu do casulo e quer se manter fora dele sem saber as consequências que irá infretar. 

Neste momento, apesar dos conceitos e falso conhecimento do mundo que o espera lá fora, sem a fiscalização efetiva dos pais ou responsáveis, este rebelde insano é uma presa fácil da bandidagem qualificada que está lá fora à sua espreita de qualquer um que possa ser domado e drenado para o lado negro da força. 

Um amigo, pai de um adolescente de 14 anos fez-me uma abordagem a respeito desse assunto. Estava transtornado sem saber como proceder. Deixei claro que a violência não é o caminho, mas a firmeza e determinação ao apontar o caminho a ser seguido. Enumerei três pontos básicos a serem seguidos.

LIÇÃO NÚMERO UM: nunca se humilhe a um filho. Assim o fazendo estará estampando na cara dele um atestado de sua incompetência como educador, como superior, como pai ou mãe que o deve conduzir ao caminho do bem.

LIÇÃO NÚMERO DOIS: com filho não se discute. Determina-se o que deve ser feito e sem pestanejar ou facilitar tarefas. Assim você estará forjando o caráter daquele que se encaminha para os embates com a sociedade do seu tempo. A vida o aguarda e não lhe facilitará a passagem.

LIÇÃO NÚMERO TRÊS: depois do castigo ou da árdua tarefa que o educando estiver fazendo ou que a tenha concluído, não se apiede, não se desmanche em carinhos, em chororô. Assim estará mostrando que foi cruel porque quis e o fez padecer quando poderia ter ajudado. Lembre-se: se assim o fizer, da próxima vez ele agirá diferente e você terá perdido a autoridade.

IMPORTANTE: lembre-se do tempo em quevocê foi adolescente e até muito aborrecente. Cabeça virada, pensamento próprio, ninguém tinha razão a não ser você. O mundo era uma reserva que se abria e você tinha todas as respostas que queria.

Hoje você vê esse mundo bem diferente e vivencia o problema do seu ou dos seus filhos. Como você era ignorante e sem noção da realidade! Certo está o Barão de Itararé ao afirmar que a "adolescência é a idade em que o garoto se recusa a acreditar que um dia ficará chato como o pai". BEM PENSADO! Disse tudo.

0
0
0
s2smodern

logo new