peronico

Avaliação do Usuário

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa
 

Segunda-feira, 29 de janeiro de 2018
Operação ‘cheque fake’ para desacreditar Quartiero pode apressar a queda de Suely

A ação da secretária Giuliana serviu para a instalar o clima de terror na politica e afetará Suely.

O clima já era instável, porém, amigável entre Jalser Renier e Suely Campos. Tanto que o presidente da Assembleia até foi cortes no início do mês com a governadora ao abrir mão de vultosos R$ 5 milhões do seu duodécimo para que Suely pudesse inteirar o dinheiro da folha de pessoal.

Mas o relacionamento entre os chefes de poderes torna-se insustentável depois dessa operação desastrosa da polícia civil que ousou invadir a sede da vice-governadoria (na sexta-feira,26), a pretexto de realizar levantamento patrimonial e resultou na mais amadora e ridícula ação de uma instituição de segurança, revelando ainda o total despreparo da secretária Giuliana Castro.

Tornou o ambiente ainda mais volúvel depois que a própria Suely junto com sua secretária Giuliana foram capazes em antecipar o resultado de uma investigação absolutamente invasiva e decidiram, sem fundamentação nenhuma, afirmar que o cheque encontrado nos pertences de Paulo Quartiero serviu para “comprar” o mandato do ex-vice-governador que renunciou ao cargo na semana passada e responsabilizaram o presidente da Assembleia, Jalser Renier, pela operação.

O surgimento do cheque de R$ 500 mil na mochila de Quatiero e a pressa de Giuliana Castro em exibi-lo como troféu de uma armação clara, já que existem evidencias de rasuras e adulteração de datas e números na folha do cheque, eleva o grau de incerteza e dúvidas da ação da Polícia, e revela certo desespero do Governo em tentar se apropriar de uma suposição para se manter no poder. Essa história de cheque de R$ 500 mil do Jálser para o Quartiero é pura invenção, balela, criatividade decrépita de assessores imbecis que no afã de agradar Suely acabaram por sepultá-la de vez.

A folha do cheque tem aparência de ser bem velha e sua confecção data de maio de 2013 e apresenta rasuras, vistas a olho nu. A Polícia Federal vai fazer a perícia e certamente apontará os defeitos no documento, o que acarretará criminais sérias sobre a delegada Giuliana Castro que não conteve a empolgação de apresentá-lo como prova de uma trama que teria, segundo ela, levado o vice-governador a renunciar ao cargo.

Ela afirmou sem reservas e na presença de jornalistas “que trata-se um acordo político entre deputados estaduais, federais, senadores e o ex-vice-governador para prejudicar o governo do estado”. Mas como ela pode fazer tal afirmação se ela própria acaba de iniciar uma investigação? Sua declaração temerária certifica seu caráter duvidoso, entre a razão e a ética, exigíveis para sua função e a forma senil de servir à chefe do Executivo.

Quartiero é um homem rico, empresário bem sucedido, não precisa de trocados. E Jalser não seria tão imaturo em desembolsar tamanha quantia sem que houvesse os amparos formais, como nominar o cheque, emissão de recibo e justificativa do pagamento, já que uma quantia desse tamanho não seria jamais sacada no banco sem a comprovação obrigatória, exigida atualmente pelo Banco Central e receita Federal. Ainda mais, Jalser não seria tão juvenil a ponto de ‘passar’ um cheque para uma conta bancária sem movimento há anos.

A operação, por outro lado, revela-se prejudicada. O amadorismo da secretária – com a conivência de outros agentes públicos e assessores do primeiro escalão de Suely – não sustenta qualquer argumentação que possa ser levada em consideração. Atitudes tão ingênuas que chegam a causar risos. E a incompetência de quem projetou tal ato certamente trará reveses apavorantes e imprevisíveis para o aprisionado e quase morto Governo de Suely Campos.

Algo contudo se professa como certo: essa operação flagelante decreta a inevitável guerra de Suely versus Jalser, e atestará definitivamente o estado beligerante na política local, antecipando a conflagração do período pré-eleitoral para a eleição de outubro. Com esses auxiliares amadores e uma secretária antecipando o resultado da investigação, precipitadamente, a conclusão óbvia virá logo e exporá o aviltamento da ação governamental, com consequências sérias para a governadora Suely Campos e para a delegada Giuliana Castro, afeita a espetacularização de seus atos.

O Impeachment será inevitável inclusive com votos da base, de deputados que não concordam com a lambança do Governo e sua operação notável. Os fatos vão esclarecer a verdade e essa semana o reboliço na política local estará garantido e definirá o futuro de Roraima. https://peronico.com.br/politica/operacao-cheque-fake-para-desacreditar-quartiero-pode-apressar-a-queda-de-suely/

0
0
0
s2smodern

logo JRH down