peronico

Avaliação do Usuário

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa
 

Quarta-feira, 25 de julho de 2018
Neudo foi novamente condenado pelo envolvimento no 'Caso Gafanhoto'

O ex-governador Neudo Campos, esposa da governadora Suely Campos – e que se encontra encarcerado e sua própria residência, na Praça da Bandeia, cumprindo prisão domiciliar – foi novamente condenado pelo seu envolvimento no “Caso Gafanhoto”.

Acatando pedido do Ministério Público, o juiz titular da 2ª Vara da Fazenda Pública, Luiz Alberto de Morais Júnior, condenou Neudo por crime de improbidade administrativa, por atos lesivos ao Estado quando era governador. A nova condenação chega 15 anos depois da Operação Praga do Egito.

A denúncia do MP diz que Neudo incluiu e manteve pessoas, por indicação sua e de seus apoiadores na Assembleia Legislativa e em outros órgãos, sob regime de contratação direta, sem concurso público, na chamada Tabela Especial Assessoria. Esses indicados ocupavam, inclusive, funções típicas de carreira como agentes de polícia, auditores, procuradores, médicos dentistas, e servidões em geral.

O esquema que resultou em mais essa condenação de Neudo foi desnudado pela Operação Praga do Egito, também conhecida como Operação Gafanhoto, ação desenvolvida pela Polícia Federal no estado de Roraima e em mais três estados, em 2003, que geou inclusive a prisão de Neudo e seu recolhimento à Cadeia Pública de Boa Vista.

Nesta última ação Neudo foi condenado a perda da função pública (se estiver ocupando), suspensão dos direitos políticos por cinco anos, pagamento de multa civil de cem vezes o valor da remuneração percebida quando da prática dos atos improbos e proibição de contratar com o Poder Público.

Neudo também está impedido de receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário, pelo prazo de três anos

0
0
0
s2smodern

logo JRH down