peronico

Avaliação do Usuário

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa
 

Quinta-feira, 3 de janeiro de 2019
Jalser é alvo da ‘Operação Royal Flush’ do Gaeco e tem bens sequestrados

Viaturas da PRF bloquearam as saídas da casa do deputado Jalser. Fotos | MPE/RR

Um dia depois de ter sido eleito para mais um biênio como presidente da Assembleia Legislativa, o deputado Jalser Renier (SD) viu-se constrangido em sua própria casa por uma operação do GAECO – Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado, para investigação sobre desvio e lavagem de dinheiro e irregularidades em contratos na ALE.

Um desgaste político certamente porque na apuração do Ministério Público Estadual figuram, além de Jalser, sua esposa e parentes, além de servidores da Casa. A ação, chamada de Royal Flush, investiga crimes de fraudes em processos licitatórios, contratos administrativos, lavagem de dinheiro, organização criminosa e obstrução de Justiça em conjunto.

Fora cumpridos mandados de busca e apreensão e de sequestro de bens. Logo cedinho as viaturas da Polícia Rodoviária Federal (PRF), chamas para dar suporte a operação, se posicionaram na calçada e nas saídas do prédio sede da Assembleia, bem como na avenida Getúlio Vargas, bairro Caçari, onde fica a residência do deputado.

Desses locais os agentes levaram documentação recolhida, computadores, e apreenderam bens móveis do presidente e investigados, como carros, motos, outros veículos e foi também determinado bloqueio de outros bens.

Segundo o MPRR, também são alvos da operação Cristiano Pontes Thomé, Vanira Wanderley Gadelha, Carlos Olímpio Melo da Silva, Elísia Martins e Anacleto Martins, além das empresas C.V. Derivados de Petróleo - Auto Posto Princesa Isabel e Martins e Padilha Serviços Ltda.

O Ministério Público informou que as medidas judiciais cumpridas na Royal Flush - nome que faz alusão ao melhor lance do jogo de poker - foram autorizadas pelo magistrado Luiz Fernando Castanheira Mallet, do Tribunal de Justiça de Roraima.

Delação deu origem à Operação - A Operação está relacionada às investigações do MPRR sobre fraudes em processos licitatórios, contratos administrativos, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

As investigações iniciaram a partir de delação premiada homologada pelo TJ, apontando supostos desvios de contratos licitatórios feitos por servidores da ALE em favor do parlamentar, bem como pela apreensão de documentos e relatórios técnicos confeccionados por auditores do Tribunal de Contas do Estado (TCE), além de uma agenda contendo a contabilidade dos valores desviados e dos beneficiários.

A partir de então foram realizadas diligências complementares, bem como postuladas medidas cautelares da quebra de sigilo bancário e fiscal pelo MPRR, que apontaram movimentações financeiras atípicas por parte do deputado estadual e demais investigados. O MPRR também investiga a prática do crime de obstrução da Justiça pela suspeita de vazamento da Operação. Fonte | MPE/RR

LEIA mais

0
0
0
s2smodern

logo JRH down