peronico

Avaliação do Usuário

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa
 

Sexta-feira, 8 de fevereiro de 2019
‘Meia-boca’: Denarium mantém apenas os concursos da Setrabes e da PM

Para quem aguardava uma posição favorável do governador Antônio Denarium (PSL) em relação a realização de todos os concursos, cancelados no último sábado, a frustração veio como resultado do anuncio feito ontem de que apenas 2 certames serão mantidos: o já realizado concurso da Setrabes (já homologado e com alguns candidatos empossados) e o da Polícia Militar, já executada a primeira etapa. O mais aguardado, o concurso da Polícia Civil, Denarium afirmou que o Estado vai apresentar as suas justificativas para cancelamento ou suspensão do certame, na ação liminar que está tramitando na Justiça estadual.

E para o concurso da SEJUC, o governador afirmou que a intenção é planejar com responsabilidade o certame, para que as novas unidades prisionais que estão sendo construídas possam ser atendidas com a real necessidade e que será realizado depois que o Estado recuperar o equilíbrio nas contas.

Diante de ebulições públicas verificadas desde o sábado passado, que estão causando desgaste na imagem do governador – ele prometeu em campanha manter e realizar todos os concursos agendados – Denarium convocou entrevista coletiva, ontem à noite, para tentar diminuir os danos já motivados pelo anuncio inicial. Utilizando-se da costumeira retórica, o governador apegou-se ao mesmo discurso de crise, que o Estado está quebrado, endividado, dilacerado, portanto, sem condições financeiras de realizar concursos, pelo menos no momento.

Denarium disse, no entanto, que os prazos para a realização das próximas etapas do concurso da PM serão prorrogados ou elastecidos para dar tempo de o Estado se adequar à Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) no tocante ao percentual estabelecido para gasto com pessoal. O certame da PM prevê a contratação de 400 novos soldados. A prova objetiva já foi aplicada e ainda faltam mais 3 etapas.

O governador disse que agora mesmo o Estado não tem condições de arcar nem com a folha de pagamento atual e já está ultrapassando os limites estabelecidos pela LRF para gastos com servidores. Diante da decisão ‘meia-boca’ de Denarium é possível que os protestos se estendam por tempo indeterminado.

LEIA mais

0
0
0
s2smodern

logo JRH down