Quinta, 31 Outubro 2019 20:03

PRENÚNCIO DO RETROCESSO

Escrito por Kennedy Lacerda

PRENÚNCIO DO RETROCESSO

Na quinta-feira da próxima semana o Superior Tribunal Federal – STF retomará a votação sobre a prisão após segunda instância, segundo os analistas essa votação já tem como certa a derrubada de uma das maiores ferramentas usada no maior processo de combate a corrupção da história do país.

Se não fosse a autorização dada pelo próprio STF em 2016 para a prisão imediata após o julgamento em segunda instância, a lava jato não teria tido êxito, a delação premiada, nunca antes usada em processo de corrupção, passou a ser a ferramenta de proteção dos corrompidos para se safarem ou diminuírem suas penas e com isso claro, entregarem o maior esquema de corrupção do mundo, sem esse mecanismo talvez jamais conheceríamos as entranhas da corrupção, os esquemas bilionários para saquear os órgãos e empresas públicas.

Corruptos e seus famosos e bem relacionados criminalistas sempre se prevaleceram de inúmeros recursos protelatórios para adiarem suas condenações, assim como o tão discutido artigo 5º da constituição, onde em seu inciso LVII diz, ninguém será considerado culpado até o trânsito em julgado de sentença penal condenatória.” , nada mais serve, do que para garantir a liberdade dos acusados até quem sabe a prescrição de seus processos.

Essa medida que muito provavelmente será adotada pelo STF, não afetará apenas a situação judicial de 40 condenados pela lava jato, ela atingirá cerca de 4.800 condenados no Brasil, colocará de novo nas ruas detentos que de alguma forma retornarão as suas atividades criminais.

A derrubada do antes entendimento do STF sobre a prisão em segunda instância, não afeta só o judiciário, afeta a economia do país, avanços já conquistados como a reforma previdenciária, privatizações e outros que já deram sinais positivos na bolsa de valores e na cotação do dólar.

A reforma no poder legislativo com a derrota de velhas raposas e seus comandados com certeza diminuirá e muito a corrupção, mas acredito que somente com uma reforma no poder judiciário teremos a certeza do fim da impunidade e da proteção de criminosos poderosos.

O pedido de intervenção militar antes descartado por muitos, passou a ser comum nas redes sociais, onde os cidadãos não vislumbram no poder judiciário o melhor caminho para o combate da corrupção no país, que por mais que seja um retrocesso, passa a ser uma alternativa aos desmandos não da classe política, mas daqueles que o poder inebriou suas convicções de uma sociedade justa e igualitária.