×

Atenção

Joomla\CMS\Cache\Storage\FileStorage::_deleteFolder Falha ao deletar .nfs000000000098fff900253839
Joomla\CMS\Cache\Storage\FileStorage::_deleteFolder Falha ao deletar .nfs0000000000a4e3e10025383d
Sexta, 14 Fevereiro 2020 13:36

OPINIÃO | O Império Romano é aqui: a política do pão e circo

Escrito por Expedito Peronico

A política do Pão e Circo como ficou conhecida, era o modo com o qual os líderes romanos lidavam com a população em geral, para mantê-la fiel à ordem estabelecida e conquistar o seu apoio.

É possível estabelecer uma relação com o passado dos romanos, com o que ocorre hoje em Roraima. Enquanto a prioridade é ignorada e o Governo local faz festa nababesca para a entrega de um estádio de futebol reformado, não muito distante dali, na maternidade estadual e no HGR, o maior hospital do Estado, a realidade é outra.

No exato momento que proeminentes figuras da política e representantes destacados da sociedade local participavam de uma solenidade de reinauguração do Estádio Canarinho (Flamarion Vasconcelos), sob o comando do governador Antonio Denarium, servidores de terceirizadas que prestam serviços nos dois hospitais, desesperados porque não recebem salários em dia, anunciavam a paralisação das atividades.

“Bom dia pessoal, passando para informar que o pessoal da nutrição, alimentação e lavanderia estão de greve. Então o mapa está suspenso (mapa de cirurgias) não haverá cirurgias até segunda (17). Talvez na terça (18), se o secretário de Saúde (Allan Quadros Garces) realizar o pagamento. Senão, continua tudo parado”, informou por grupos de WhatsApp um dos líderes do movimento paredista.

Outra empresa que realiza limpeza no HGR, a Cometa Serviços, também paralisou tudo. Um vídeo foi feito por servidores da terceirizada onde mostra infestação de carrapatos sobre as macas e muita sujeira no local. A Cometa não recebe pagamento há meses.

Tudo bem, o Estádio Canarinho ficou bonitinho, novinho em folha, gramado verdinho, iluminação de Led, cadeiras instaladas, enfim, ficou um show. Tudo isso enche de orgulho o governador Antonio Denarium, que conseguiu concluir a obra que se arrastava havia 8 anos.

Mas desde quando futebol é prioridade num estado pobre que sequer consegue ofertar saúde de qualidade, digna e regular a seus moradores?. A diversão é necessária, o futebol é uma paixão nacional e local, mas por que não se dá a mesma atenção à saúde pública que é mais urgente e que se encontra no caos?

A situação de crise que vive Roraima guarda semelhanças com a ascensão e queda do Império Romano. As necessidades básicas como saúde, educação e segurança não são prioridade. O governo parece preferir a demagogia política.

Logo mais, quando as luzes do estádio se apagarem, a diversão vai cessar. Mas no foco dos problemas – por enquanto na maternidade estadual e no HGR – a situação de penúria permanece. O Governo tem que abrir o olho para aquilo que é mais importante. E esquecer que o Império Romano acabou faz séculos.