Quarta, 26 Fevereiro 2020 12:00

Como o ditador Nicolás Maduro usa a ameaça de guerra com o Brasil para tentar conter a crise na Venezuela

Escrito por Peronico
ditador venezuelano Nicolás Maduro está usando uma suposta ameaça de guerra com o Brasil como recurso para tentar salvar a pouca popularidade que ainda lhe resta dentro de seu país. A recente acusação de que o presidente Jair Bolsonaro estaria “arrastando as forças militares do Brasil para um conflito armado” com a Venezuela, na sexta-feira retrasada (14) é mais um capítulo da estratégia de buscar inimigos externos para desviar a atenção da crise interna que enfrenta o país. Um dia depois, as forças venezuelanas iniciaram exercícios militares. Isso é prática comum em qualquer país do mundo e na própria Venezuela. No ano passado, o governo Maduro fez três vezes esses exercícios: um no primeiro semestre e dois no segundo. Antes de que os exercícios se iniciassem, Maduro fez declarações contundentes contra os governos de Colômbia e Brasil, seus principais opositores na América do Sul. A ideia de que há inimigos estrangeiros à espreita, ameaçando a soberania da Venezuela, sempre foi usada como tática pelo chavismo e alimenta sua popularidade desde o fim do século passado, quando Hugo Chávez se elegeu presidente do país. Até pouco tempo atrás, a grande ameaça apontada pelos chavistas eram os EUA. Com a ascensão de governos de direita em nações vizinhas na América do Sul, Nicolás Maduro ganhou novos elementos para sustentar uma velha narrativa. Com informações de agências internacionais.