Quarta, 21 Setembro 2016 12:19

Colapso financeiro: ‘Assembleia não terá dinheiro para pagar salários’, diz Jalser.

Escrito por

Quarta-feira, 21 de setembro de 2016Colapso financeiro: "Assembleia não terá 

dinheiro para pagar salários", diz Jalser

 

Vai caminhando para um desfecho trágico o enredo dessa novela sobre o atraso nos repasses do duodécimo dos poderes. Sem dinheiro em caixa o Governo não está cumprindo o dever de casa e não vem transferindo na data constitucional os valores a que cada um tem direito na fatia mensal do orçamento estadual. Houve retardamento em julho, agosto e não há previsão de repasse agora em setembro. Ai a crise ultrapassa as fronteiras da Praça do Centro Cívico, onde está instalado o colapso, no Palácio Senador Hélio Campos, alcançando em cheio os vizinhos bem próximos, como Assembleia Legislativa e Tribunal de Justiça, e vai raiando também na direção do Tribunal de Contas, Ministério Público, Defensoria Pública e todos aqueles entes que dependem dos repasses mensais que compõem a talhada do duodécimo.

Ontem o presidente Jalser Renier e o presidente do Tribunal de Justiça se manifestaram a respeito do assunto. Jalser foi ao púlpito do Plenário da Assembleia para uma longa reflexão e foi de cara anunciando que o Poder Legislativo não terá dinheiro este mês para sequer pagar salários de servidores e proventos dos deputados. “A crise existe e é real. E o esgotamento financeiro do Estado no ritmo que vai, é questão de tempo”, disse Jalser. Ele rebateu os argumentos utilizados pelo deputado Flamarion Portela de que os Poderes constituídos deveriam rever e ajustar seus respectivos orçamentos para o próximo ano, e disse ser demagogia a justificativa que vem sendo adotada pelo Governo do Estado, de querer imputar a culpa pela crise à obrigação constitucional dos repasses mensais dos duodécimos.

– Isso é demagogia. Chegar e dizer que o Estado está passando por dificuldades e quer que os Poderes assumam. Querer girar a metralhadora para o Legislativo. Daqui a pouco o Legislativo é culpado de tudo”, disse Jalser. Na opinião de Jalser Renier, a governadora Suely Campos (PP), deveria ter feito uma auditoria assim que assumiu o Governo, e tornada pública a situação econômica vivida por Roraima.

Jalser foi mais enfático, citando o Art. 2º da Constituição do Estado de Roraima, segundo o qual “São Poderes do Estado, independentes e harmônicos entre si, o Legislativo, o Executivo e o Judiciário”. Mas ele disse que essa hierarquia não funciona em Roraima, onde o Legislativo sofre profundo desrespeito e desconsideração.

 

LEIA mais
www.peronico.com.br