Quinta, 20 Outubro 2016 13:10

Corte na própria carne: Deputado Mecias de Jesus propõe enxugamento da máquina estadual

Escrito por

Quinta-feira, 20 de outubro de 2016

Corte na própria carne: Deputado Mecias de

Jesus propõe enxugamento da máquina estadual

 

O deputado estadual Mecias de Jesus (PRB) – aliado do Palácio senador Hélio Campos e uma das figuras mais proeminentes do grupo governista – enxertou uma proposta palaciana antiga que dormitava nas gavetas da Assembleia – e introduziu uma série de medidas que pode refluir em uma reforma administrativa ampla, profunda, austera e indigesta no Governo de Suely Campos (PP). A matéria, pela sua significância, foi aprovada ontem facilmente com 18 votos e 2 abstenções [Aurelina Medeiros e Brito Bezerra).

Não se trata de mera medida simbólica ou questão de retórica, até porque o parlamentar sugeriu ajustamentos também em toda malha pública, incluindo Assembleia, Judiciário, Ministério Púbico, Tribunal de Contas e afins. As emendas de Mecias ao projeto encaminhado por Suely em fevereiro e só agora apreciado em plenário, que previa inicialmente a redução de valores salariais do primeiro escalão e equivalentes em 20% por seis meses e abaixamento de despesas diversas, impõem severidade ao Governo deixando-o com uma única alternativa para que se possa manter a máquina estadual nos trilhos: o corte abrupto das despesas e a readequação de todos os instrumentos que o norteiam e que dão bússola à administração.

E o talho proposto por Mecias começa pela pele mais nobre: reduzir em 30% o salário da governadora Suely Campos, do vice Paulo Cesar Quartieiro, de todos os titulares e adjuntos do primeiro escalão, de dirigentes de empresas de economia mista, autarquias, estatais, institutos, fundações, extinguir e fundir secretarias, acabar com o amontoado de diretorias na administração indireta, reduzir cargos comissionados, demitir servidores excessivos, enfim (ufa!), ajustar a máquina pública de forma intransigente e brusca visando, segundo ele, permitir a própria sobrevivência do Governo.

O efeito dos ajustes propostos pelo deputado Mecias na administração e na qualidade do serviço é devastador. Porque implica em deslocamento de funções, demissões, corte de gastos, modernização do pensamento e modernização da gestão. As mudanças geram reações, mas são necessárias para dar mais eficiência ao aos atos do Governo. A expectativa, contudo, é saber se a governadora Suely vai aceitar ou rejeitar as proposições já que tem prerrogativas para vetar tudo.

Mas é preciso, no mínimo, poder demitir os funcionários públicos incompetentes e porque não é razoável manter tanta gente empregada em atividades que perderam o sentido, para prestar serviços de qualidade discutível. Com menos gente na máquina pública, haverá mais recursos para pagar melhor, atrair quadros mais qualificados e oferecer à população os serviços de que precisa – e que merece. É esse o desejo de todos.

 

LEIA mais
www.peronico.com.br