Segunda, 24 Outubro 2016 14:58

Ministério Público investiga gastos de deputados com a cota para a atividade parlamentar

Escrito por

Segunda-feira, 24 de outubro de 2016

Ministério Público investiga gastos de deputados

com a cota para a atividade parlamentar


O Ministério Público Federal investiga suspeita de desvios da cota parlamentar de pelo menos 30 deputados e alguns que já perderam o mandato. Além do salário, da verba de gabinete e do auxílio-moradia, os parlamentares ainda recebem R$ 45 mil por mês para aluguel de veículos, passagens, combustível, hospedagem, manutenção de um escritório em sua cidade de origem, contratação de serviço de consultoria, pesquisa e trabalho técnico e para a divulgação da atividade parlamentar. Neste último item é onde os parlamentares se refestelam, ‘investindo’ a maior parte da verba do ‘cotão’.

Um dos casos de irregularidades investigados é o do líder do governo na Câmara, deputado André Moura (PSC-SE), aberto este ano. Segundo investigações da Procuradoria da República, Moura R$ 460 mil com Cloud Technology, entre 2013 e 2016, mas os documentos apresentados pela consultora não comprovam a prestação de serviço. Os investigadores também não encontraram a companhia no endereço informado. O processo, assim como pelo menos outros sete casos, segue sob sigilo na Justiça.

É bom que se diga nenhum dos 8 deputados roraimenses tem qualquer ligação com a investigação do MP. Mas impressiona o apetite de nossos representantes no uso desse dinheiro. Até ontem – conforme pesquisa deste Blog no site da Câmara dos Deputados (www.camara.gov.br/transparência), os roraimenses 'torraram', simplesmente R$ 3.094.310,58 (Três milhões, noventa e quatro mil, trezentos e dez reais e cinquenta centavos). É muito dinheiro em comparação a produtividade de cada um. E ainda falta fechar o mês de outubro.

Na escala de gastos o deputado Hiran Gonçalves (PP) é quem mais corroeu a verba do cotão: R$ 441.375,16. Enquanto Abel Galinha (DEM) foi o mais franciscano, mesmo assim torrou R$ 335.659,49. Depois vêm Carlos Andrade (PHS) com R$418.104,40, o Édio Lopes (PR) com R$ 402.964,67, Remídio Monai (PR) 380.813,83, o Jhonatan de Jesus (PRB) com R$ 374.004,89, a Maria Helena (PSB) com R$ 373.613,11 e Shérida (PSDB) com 367.813,83.

 

LEIA mais
www.peronico.com.br