Segunda, 14 Novembro 2016 13:52

A espetacularização da noticia

Escrito por

Segunda-feira, 14 de novembro de 2016 

A espetacularização da noticia

 

Os roraimenses certamente estão ainda a imaginar: qual a importância para nosso Estado de notícias como essa que foi divulgada no Fantástico [Rede Globo] desse domingo (13), sobre a situação jurídica e política do deputado Jalser Renier? Não acrescentou absolutamente nada ao que já sabemos.

Eu, sinceramente, não vejo razão nenhuma para empolgação. Me manifestar contra ou a favor não é minha função como jornalista. Eu me enuncio pelo fato em si, pelo julgo que a causa ganhou do Poder Judiciário. A Justiça já cumpriu seu dever, apenando-o.

Jalser foi condenado e está cumprindo sua pena e as atividades colaterais do pós-sentença que estão sendo questionadas, por exemplo, como ele se mantém investido na função deputado, permanece a ocupar a presidência da Assembleia, ficar recolhido em local específico, tudo isso é permitido. São direitos concebidos pelo sistema.

A política como espetáculo tornou-se rotineira em Roraima. São situações dramáticas que se agravam com a polarização, quando o espaço para reflexão desaparece e ganham destaques as cenas mais comuns que é o enfrentamento, bate-boca entre grupos antagônicos, cenas sensacionalistas, gravações ocultas, encenações teatrais e assim por diante.

Óbvio que o jornalismo da Rede Globo segue um ‘script’ pós-desenhado, pré-elaborado com o objetivo a ser atingido já definido, como num roteiro de novela. Não acredito que esteja auferindo algum lucro financeiro como andaram postando por ai. Loucura. A Globo não se prestaria a isso. Mas há exagero na forma como o repórter abordou a matéria. Pura espetacularização com a finalidade de causar impacto, de chocar a opinião pública.

Esse episódio que conspurca, deslustra e macula a vida de Jalser não é uma moléstia que se abateu sobre ele apenas. Há muita gente em Roraima acometida do mesmo mal. Têm as mesmas enfermidades políticas que causaram essas feridas na vida pública do deputado. Muita gente. O bom disso tudo é que ”o sujo dana-se a falar do mal lavado”. Igual macaco que senta no próprio rabo e fica falando mal do rabo do outro. Eu só sei o seguinte: quem cuidou de expelir seus excrementos de verme que cuide de limpá-los. Ou seja, errou tem que pagar. É isso ai…[Por Expedito Peronnico].

 

LEIA mais
www.peronico.com.br