Quinta, 16 Março 2017 13:17

Políticos roraimenses vão em procissão ‘rezar’ aos pés de Temer

Escrito por

Quinta-feira, 16 de março de 2017
Políticos roraimenses vão em procissão ‘rezar’
aos pés de Temer e rogar pelo Linhão de Tucuruí

1603 coluna do peronicoEm procissão, mais uma vez, vários políticos de Roraima estarão hoje rezando, fazendo súplicas aos pés do presidente da República Michel Temer pera pedir, implorar, rogar pela construção do Linhão de Tucuruí, aquele projeto engavetado que previa a construção de uma linha de transmissão de alta tensão que partiu da hidrelétrica de Tucuruí, no Pará, chegaria a Roraima como o ponto final do Sistema Interligado Nacional. O projeto arrasta-se há anos, foi licitado mas estancou porque os índios Waimiri-Atroari não permitem que as torres sejam instaladas em ‘suas terras’.

A audiência com Temer está agendada para a manhã desta quinta-feira, a partir das 10 horas, no Palácio do Planalto e terá a presença de deputados, senadores e da governadora Suely Campos. O encontro tem o objetivo, claro, de discutir questões energéticas relacionadas ao Linhão de Tucuruí. Mas será debatido também a questão do fechamento da BR-174 dentro da reserva indígena Waimiri-Atroari. Roraima é o único estado brasileiro que não está ligado ao Sistema de Interligação Nacional, o que é considerado uma discriminação pelos parlamentares roraimenses.

É preciso que se obtenha um posicionamento mais verdadeiro de Michel Temer para a questão porque Roraima está à beira do caos energético. Hoje, 72,2% da energia consumida são comprados da Venezuela, que enfrenta a maior crise econômica e humanitária da região. Os outros 27,8% são fornecidos por quatro usinas termelétricas mantidas pela Eletrobrás. Todo mês, elas consomem seis milhões de litros de óleo diesel, ao custo de R$ 20 milhões.

A audiência de hoje representa mais um pouco de esperança, mas da última vez que estiveram com o presidente da República, os mesmos políticos que hoje ‘beijarão’ sua mão, receberam a promessa de que em um mês o problema estaria resolvido. O juramento de Temer foi feito no dia 5 de novembro do ano passado e até hoje nada de linhão.

Os deputados federais dizem estar trabalhando em conjunto no sentido de fazer defesa dos direitos da população de Roraima, que merece ser beneficiada com investimentos em infraestrutura e com a retomada de obras paralisadas. O fato de o novo programa de concessões do Governo Federal ter deixado Roraima de fora novamente demonstra, no entendimento de alguns membros da bancada, certo descaso do Poder Central para com o estado.

LEIA mais

www.peronico.com.br