Quarta, 05 Abril 2017 11:54

Há interesses espúrios por detrás da invasão de terras no Haras Cunhã Pucá

Escrito por

Quarta-feira, 05 de abril de 2017
Há interesses espúrios por detrás da invasão de terras  
no Haras Cunhã Pucá. E motivações políticas, claro!

0504 Coluna Peronico

Há um interesse claramente político por detrás dessas constantes invasões de lotes públicos e privados, nas cercanias de Boa Vista. A ocupação de uma parte de terras que pertence ao empresário suíço Walter Voguel, o Valter Suíço, na localidade haras Cunhã Pucá, do outro lado da ponte, ocupou o noticiário local e reverberou ontem na Assembleia Legislativa e nas conversas de bate-papo.

A cada incursão desses invasores teleguiados percebe-se que não é uma ação daqueles que precisam de moradia, mas de uma manobra espúria e política e ocorre sempre em períodos pré-eleitorais. Como a campanha de 2018 praticamente se iniciou precocemente, inclusive com os possíveis candidatos já em campo, o jogo sujo das invasões servem para a difusão do jogo sujo para perpetuar as disputas em vez de resolvê-las. E tudo com norte claro: tumultuar o caminho agora visando a próxima eleição.

A invasão da fazenda Cunhã Pucá deixa claro a disfunção social em detrimento da promoção de ações eficazes que visem atender a necessidade dos miseráveis sem-teto. Nota-se que todos estão ali orientados para apenas atuar em reações fantasiosas, pequenos teatros, porque os artífices das ocupações estão mais preocupados com as repercussões do que encontrar saídas para os carentes e desprovidos de moradia.

A propriedade do Walter Voguel é registrada em cartório e não há nenhuma comprovação de que esteja à venda ou sob negociação. Ademais o local escolhido pelo autointitulado líder dos mais pobres, Faradilson Mesquita, não serve para a construção de habitações porque 85% de toda sua extensão encrava-se em área alagadiça que serve ao plantio de arroz e para nada mais.

E por mais que a Polícia se junte com o Ministério Público e com órgãos de segurança para garantir a propriedade da terra, essas ocupações ilegais e originadas na vontade daqueles que semeiam a desgraça, continuarão, porque já não se trata de um caso de carência, de natureza biológica, mas da antropologia do mal. Os delinquentes cooptam velhos, senhoras idosas e crianças sem o menor escrúpulo. O que interessa é a vontade ensandecida de materializar “o quanto pior melhor”.