×

Atenção

JUser: :_load: Não foi possível carregar usuário com ID: 336
Terça, 25 Abril 2017 10:40

Famílias ameaçadas por nova reserva indígena pedem socorro

Escrito por

Terça-feira, 25 de abril de 2017
Famílias ameaçadas por nova reserva indígena
pedem socorro na Assembleia Legislativa

2504 Coluna Peronico

Famílias da comunidade do Anzol, região do Murupu, zona rural de Boa Vista, preocupadas com a perda de suas terras, ameaçadas por nova reserva indígena, foram ontem pedir socorro na Assembleia Legislativa de Roraima. A ação de demarcação foi movida pelo Ministério Público Federal (MPF) e deferida pela juíza federal do Tribunal Regional Federal da 1ª Região, Luzia Farias da Silva Mendonça

A demarcação de uma nova terra indígena causou surpresa nos roraimenses por conta da promessa do Governo Federal de que novas áreas não seriam demarcadas no Estado. Mas os moradores afirmaram ontem que os indígenas pretendem expandir a área até a Serra da Moça, um perímetro que vai da BR-174 até o rio Uraricoera, inclusive abrangendo a Vila do Passarão. Na comunidade do Anzol existem mais de 250 propriedades e quase três mil famílias.

Nascido na comunidade do Anzol, o senhor Alcimir Pereira de Melo, 69 anos, lembrou que seu pai nasceu e se criou na região, e que se estivesse vivo estaria com 105 anos. “Sempre vivemos nessa comunidade. Trabalho na roça, faço farinha para vender. Eu e meus irmãos criamos gado, bode, galinha”, disse.

O deputado Jalser Renier afirmou que a Assembleia tentará intermediar a questão, que ainda não é definitiva. “Existe apenas uma decisão monocrática da Justiça e é passiva de outra decisão superior a essa. Vamos trabalhar em cima disso, dentro da lei, afim de que essas famílias não sejam retiradas de lá. Vamos contrapor de maneira eficaz. A Funai vai ter que rever essa decisão”, garantiu, afirmando que o Governo Federal não tem interesse em demarcar mais áreas em Roraima.