×

Atenção

JUser: :_load: Não foi possível carregar usuário com ID: 336
Quarta, 31 Maio 2017 11:50

‘Climão’ pesado na Assembleia: Deputados evitam sessão

Escrito por

Quarta-feira, 31 de maio de 2017
‘Climão’ pesado na Assembleia: Deputados evitam sessão,
fazem reunião secreta, mas não dão pista do que virá

O clima é nuvioso e sombrio entre deputados estaduais depois que foi autorizada que investigação contra quatro deles, pelo desembargador Leonardo Cupello, seja iniciada para averiguação de supostos gastos irregulares com passagens aéreas e diárias. Ontem era visível a atmosfera pesada no Plenário, que nem abriu para a sessão ordinária do dia, na hora regimental, por absoluta falta de quorum, embora 15 dos 24 deputados tenham registrado presenças no painel eletrônico da Casa.

Entre burburinhos, conversas ao pé do ouvido e ausência de informações, fica claro que há algo de muito grave acontecendo, porque não é comum esse tipo de registro. Raras vezes nesse tempo todo de sua existência, a Assembleia deixou de se reunir em Plenário para pronunciamentos, debates, discussões de matérias e votações.

O encontro secreto de ontem em que estavam presentes todos os deputados aliados e não aliados, é o reflexo de um relacionamento mal construído entre Executivo e Legislativo, agravado pela falta de maturidade de ambas as partes e empiorado pela ausência de diálogo entre a governadora Suely Campos e o presidente Jalser Renier. E inda há os ‘diabinhos’ que ficam atiçando a fogueira em ambos os lados sem ter a noção devida da desgraça que essas labaredas podem causar.

Pelo que ouvi ‘em off’ de alguns deputados após a reunião reservada, a guerra está para eclodir. E decorre de deduções naturais da maioria dos parlamentares sobre articulações nada republicanas arquitetadas no Palácio do Governo sobre o Parlamento. Como essa investigação que segundo a maioria partiu do desejo do Governo de ‘ferrar a vida’ de alguns adversários para enfraquecê-los.

Qualquer que seja o desfecho dessa batalha que se prenuncia, as baixas ocorrerão dos dois lados. E no meio desse tiroteio há aquele que deveria ter por herança os benefícios advindos da ação de cada deputado: o povo. Haverá muitos mutilados nessa guerra de interesses. E como em guerra não há empates, o ‘sangue’ derramado nessa batalha trará muito sofrimento e muitas avarias. Quem viver verá!