Sábado, 28 Dezembro 2019 09:57

No apagar das luzes: Denarium demite Cecília Lorezon da Secretaria de Saúde.

Escrito por Peronico

Denarium decidiu ontem à noite demitir Cecilia Lorezom.

Por fim, Cecília Ismith Lorezom foi demitida ontem da
Secretaria Estadual de Saúde. A notícia da exoneração foi repassada para
veículos de comunicação pelo presidente do Sindicato dos Profissionais de Enfermagem,
Melquisedek Menezes que recebeu a confirmação do próprio governador.

Cecília já estava na corda bamba havia semanas, porque não
conseguia harmonizar o ambiente na Sesau. E conseguiu apressar a saída depois
que um conselheiro do Tribunal de Contas mandou suspender um pregão eletrônico de
R$ 31 milhões por supostas denúncias de irregularidade no edital;

A demissão de Cecília, no entanto, não havia sido oficialmente
anunciada até ontem à noite tampouco foi publicada no Diário Oficial do Estado.
Mas a notícia vazou e foi afiançada por gente de dentro do Palácio do Governo.

Outra razão para a exoneração é que Cecília conseguiu fazer intrigas com servidores da própria Secretaria, com integrantes do TCE, do Legislativo e de gente graúda do próprio Governo. E como a pressão sobre ela era demasiada, Denarium preferiu abrandar as desavenças e a demitiu.

Uma fonte do Blog confirmou ontem que o novo secretário já teria sido escolhido: será um técnico do Ministério da Saúde, que virá de Brasília. Até o novo secretário assumir, a Sesau será comandada pelo adjunto Francisco Monteiro.

Cecília tentou desqualificar declarações de Rui.

Rui confirma propina | As revelações do jornalista Rui Figueiredo, apontando esquema de pagamento e propinas na Secretaria Estadual de Saúde, abalou a estrutura emocional de Cecília Smith Lorezom.

Ontem Cecília - ainda secretária - foi tentar desqualificar as declarações do jornalista, postadas em sua página no Facebook, afirmando se tratar de uma simples manifestação isolada, "uma opinião", ao que Rui rebateu com outro depoimento, reafirmando existir sim esquema de distribuição de dinheiro de contratos com a Secretaria.

 "Não, secretária, não foi opinião. Eu AFIRMEI
que a senhora EXIGIU da empresa que pagasse 10% de propina a um ex-deputado ou
não autorizava o pagamento do que a Sesau devia. Estou mentindo? Está tudo
gravado em pelo menos um dos celulares apreendidos pela Polícia Federal com as
vítimas presas dia 19", disse ele.