Terça, 23 Junho 2020 17:03

CONSPIRAÇÃO VERGONHOSA NO BRASIL E UMA TREMENDA BARRIGA DO FANTÁSTICO DA REDE GLOBO

Escrito por Neimar Fernandes

Acompanhe comigo parte do que foi feito em 18 meses de governo BOLSONARO, apenas com o cumprimento de promessas que só dependeriam dele:

– eliminados mais de 200 mil cargos     de militantes nos estados e no governo federal;

– bolsa de valores ultrapassou 100 mil pontos pela primeira vez na história ;

– venda de ferrovias, aeroportos e portos colocando mais de 10 bilhões de Reais no caixa;

– redução de despesas com a lei Rouanet de 60 para 1 bilhão;

– Imposto sindical opcional;

– ONGS sem verba;

– redução substancial de gastos com publicidades;

– nióbio e grafeno para Brasil;

– invasões de terras caíram de 43 em 2018 para 1 até agora;

– cortados 3000 salários de presos da ditadura;

- eliminação de milhares de fraudes que possibilitaram o pagamento de 13° salário para o bolsa família;

– corte de 25 mil cargos nas áreas federais;

– acabou com o sistema mais médicos e admitiu 15 mil profissionais brasileiros;

- empresas estatais saíram de 35 bilhões de prejuízos em 2018 para 85 bilhões de lucros em 2019 recolhendo mais de 130 bilhões ao tesouro;

– golaço com o acordo mercosul  e união europeia. Mercado com mais de 800 milhões de consumidores, equivalende a mais de meia china;

– várias estradas foram concluídas, pavimentadas e duplicadas;

-safra recorde de grãos, a maior da história do agronegócio;

Existem ainda centenas de outras pequenas atitudes, que beneficiaram e facilitaram a vida de milhares de cidadãos.

Infelizmente, uma pandemia mundial nos alcançou em plena decolagem rumo ao desenvolvimento pleno.

Agora para o Brasil voltar a crescer, gerar empregos e ocupar lugar de destaque nessa economia globalizada, é preciso aprovar uma série de reformas.

Aí é que entra em cena o congresso com seus deputados e senadores.

Enquanto muitos lutam para permitir a aprovação e consequente implantação dessas reformas, um grupo da velha politica, sedentos por cargos  e incentivado pelas presidências das duas casas legislativas e governadores de oposição insiste em dificultar, obstruir, descaracterizar quaisquer projetos enviados pelo governo.

Sabe porque?

Porque temem fortalecer a reeleição do presidente e desejam negociar, palavra que significa cargos no executivo, ou seja, agem politicamente na surdina, mas pouco se importam com o país e as difíceis condições de vida que fustigam a população.

O que fez o presidente Bolsonaro?

Conhecedor profundo dos bastidores do congresso, buscou o grupo de partidos denominado centrão para ter maioria dos votos e propôs participação no governo com indicação de nomes, mas sob condições e poder de veto fornecidas pelo presidente.

Sem criar novos ministérios, mas apenas desmembrando os já existentes, evitou inflar gastos remanejando estruturas administrativas já existentes. Assim apenas o gabinete e cargos de confiança serão preenchidos.

Sob ameaças constantes em conluios espúrios dos outros poderes, o executivo se viu na obrigação de fazer concessões, que embora controladas e com pente fino nas indicações, não deixa de abalar um dos pilares que levaram a eleição do presidente.

Vão-se os anéis e ficam os dedos. Fomos às urnas, pedimos mudanças, elegemos novos representantes, mas parece que a velha política do toma lá dá cá continua a prevalecer no parlamento.

Tomará que a voz das ruas se faça ouvir barrando a conspiração dos inimigos da pátria.

Além da ditadura togada, convivemos com arbitrariedades sendo organizadas e vazadas pela esquerda infiltrada na máquina administrativa nesses últimos 25 anos.

Uma das mais VERGONHOSAS OPERAÇÕES POLICIAIS com intuito de prejudicar e denegrir o nome do presidente ocorreu no último domingo, 21 de junho em Brasília, vexame sem precedentes da policia civil do Distrito Federal e com uma cobertura totalmente fraudulenta e direcionada a fustigar Bolsonaro.

 -

NEIMAR FERNANDES é jornalista e publicitário, pós graduado em marketing pela SUNY-State University of New York e tem mais de 40 anos de experiência com serviços prestados no Brasil e exterior.