Avaliação do Usuário

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa
 

O Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil avançou 0,9% no primeiro trimestre deste ano em comparação com o mesmo período de 2017. Em relação ao trimestre imediatamente anterior, o PIB avançou 0,3%, de acordo com monitoramento divulgado pela Fundação Getulio Vargas nesta segunda-feira (21). Em 12 meses, o PIB acumula taxa de crescimento de 1,2%.

Na comparação com o ano passado, o destaque positivo foi a melhora das atividades de transformação (4,6%) e comércio (4,8%). “A economia continua apresentando crescimento no primeiro trimestre de 2018, invertendo a trajetória declinante observada até o quarto trimestre de 2017, de acordo com a série com ajuste sazonal", afirma Claudio Considera, coordenador do Monitor do PIB-FGV.

Já o consumo das famílias teve crescimento de 1,5%. O principal componente a contribuir com esse resultado foi o consumo de produtos duráveis, que cresceu 12,4%. Todos os outros itens apresentaram taxas positivas, a exceção foi o consumo de serviços, que ficou negativo (-0,7%) após cinco meses consecutivos de crescimento.
Fonte: Governo do Brasil, com informações da Fundação Getúlio Vargas

Setores - Na comparação do primeiro trimestre deste ano com o mesmo período do ano passado, sob a ótica da produção houve alta de 1,8% na indústria e de 1,3% nos serviços. Por outro lado, a agropecuária registrou queda de 5,2%.

Os segmentos industriais que puxaram a alta do PIB foram a indústria da transformação (com avanço de 4,6%) e eletricidade (0,4%). A indústria extrativa mineral teve queda de 1,6% e a construção recuou 2,5%.

No setor de serviços, a alta foi influenciada pelos segmentos de comércio (4,8%), transporte (1,3%), serviços imobiliários (2,9%), intermediação financeira (0,4%), outros serviços (0,3%) e administração pública (0,1%). A única queda foi observada nos serviços de informação (-3,3%).

Sob a ótica da demanda, as principais altas ficaram com os investimentos (3,7%) e o consumo das famílias (1,5%). O consumo do governo cresceu apenas 0,1%. No setor externo, a queda de 4,4% das exportações freou o PIB no trimestre. As importações também caíram: -0,4%.

0
0
0
s2smodern

logo JRH down