Avaliação do Usuário

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa
 

Empresas de grande e médio porte com faturamento entre 4,8 milhões e 78 milhões tem que ingressar obrigatoriamente desde janeiro deste ano no eSocial. Micro e pequenos, assim como Microempreendedores individuais (MEI) com pelo menos um empregado, também devem ingressar no sistema. No entanto, conforme as cinco fases previstas, possuem até novembro deste ano para aderir a ferramenta.

Um projeto integrante do Sistema de Escrituração Pública Digital (SPED), o eSocial pretende simplificar e unificar a entrega das obrigações trabalhistas, previdenciárias e fiscais num banco dedados administrado pelo Governo Federal. Neste cenário, também estão presentes as empresas de contabilidade, que deverão atender seus clientes dentro dos moldes instituídos pelo SPED, priorizando a automatização dos processos contábeis.

O professor do curso de Ciências Contábeis do Centro Universitário Estácio da Amazônia, Dorivaldo Barreto, conta que as empresas de contabilidade e contadores devem estar atentos às mudanças proporcionadas pelo eSocial para que sejam capazes de orientar seu clientes quanto às novas formas de entregar informações ao sistemas fiscalizadores.

“A minha percepção em relação ao eSocial é a sintetização e centralização das informações somente em um sistema do governo. A ferramenta vem trazer maior transparência das empresas para com o governo, simplificando os vários processos existentes. Portanto, o eSocial tem a promessa de maior agilidade nos processos para simplificar a rotina dos profissionais de contabilidade”, apontou.

Segundo o professor, nessa fase, as empresas de contabilidade já devem estar totalmente integradas ao eSocial. Estando em harmonia com os moldes impostos pelo governo para que consigam atender corretamente e manter uma boa relação com o setor. “Um dos maiores impactos dessa mudança é primeiramente com as diretrizes governamentais. O setor contábil deve se antecipar às alterações para, no que lhe diz respeito, orientar as demais empresas nas adequações essenciais”, explicou.

O eSocial exige da maioria das empresas mudança em seus comportamentos e dos fluxos de atividades, pois os eventos trabalhistas deverão ser enviados a medida em que forem acontecendo. A entrega unificada facilita ao Governo a busca de irregularidades, tais como prazos desrespeitados, erros de cálculos ou declarações inconsistentes.

“No todo, o eSocial é uma ferramenta que facilita muito o acesso à informação e trabalho do contabilista. A mudança na rotina/fluxo de uma empresa deve ser realizada de maneira que os eventos que ocorram, como contratações ou demissões sejam imediatamente comunicados ao setor contábil”, finalizou Dorivaldo.

0308 Cronograma do eSocial

0
0
0
s2smodern

logo JRH down