×

Atenção

Joomla\CMS\Cache\Storage\FileStorage::_deleteFolder Falha ao deletar .nfs000000000098fff900253839
Joomla\CMS\Cache\Storage\FileStorage::_deleteFolder Falha ao deletar .nfs0000000000a4e3e10025383d
Marcello Bussacchi

Marcello Bussacchi

Domingo, 26 Abril 2020 17:44

"Vidas em Quarentena"

Caminhos da Reportagem faz algumas reflexões sobre a vida em quarentena em tempos de pandemia do novo coronavírus. Com a pandemia, empresas, empregados e autônomos, quando possível, testam o trabalho remoto. Nossa equipe de produção e reportagem também experimentou esse formato para colocar no ar a edição Vidas em Quarentena. As jornalistas Flavia Peixoto e Gracielly Bittencourt conduziram a reportagem, cada uma em sua casa. O episódio Vidas em Quarentena vai ao ar neste domingo, às 10h, na TV Brasil.

A arqueóloga portuguesa Joana Freitas nos lembra que esse tipo de epidemia e pandemia tem ao longo dos séculos assustado e feito parte das vivências do homem. Nessa experiência, que é histórica, recebemos vídeos de pessoas que estão vivendo este momento de formas diferentes.

Marcella Martins é trans e trabalha como taxista em São Paulo. No início da pandemia, Marcella seguiu trabalhando. Em um dos dias de trabalho, foi de madrugada buscar no aeroporto de Guarulhos uma família que chegava de viagem da Europa. “Eu fiquei com medo. Mas eu também não poderia deixar eles na mão porque são pessoas que estão comigo no dia a dia”, explicou, se referindo aos passageiros. No decorrer dos dias, porém, o medo aumentou e a procura por taxi caiu bastante. Marcella decidiu se confinar em casa.

Quem também não pode ficar o tempo todo em casa é Paula Braga, uma jovem de 23 anos que mora no interior de Minas Gerais. Ela tem um problema renal crônico e precisa fazer hemodiálise três vezes por semana. Para fazer o tratamento, ela sai de Guimarânia, onde mora, e vai a uma cidade vizinha, Patrocínio. “Eu já estou na fila do transplante renal, desde agosto de 2019. Meu pai se ofereceu para ser um doador renal para mim e a gente estava fazendo exames, procurando saber se a gente conseguiria fazer esse transplante o mais rápido possível. E por conta da epidemia foi tudo parado”, lamenta.

Ação Solidária no Pará
Ação Solidária no Pará - TV Brasil / Divulgação

Do Pará, recebemos vídeos de pessoas que estão saindo de casa para ajudar quem está mais vulnerável: a população de rua, os refugiados, autônomos e aqueles que perderam empregos em decorrência dos reflexos da pandemia na economia. Sofia Paz é voluntária da ONG Pará Solidário. Ela explica que após a pandemia, muitos grupos que ajudavam as pessoas em situação de rua param de atuar e a ONG começou a oferecer apoio também a esse público. Elthon Costa é autônomo e, junto com a esposa, organiza ações solidárias na região metropolitana de Belém.

Se há quem precise trabalhar e sair de casa; há quem pode ficar em casa. A quarentena em família, dentro de casa, também é um tema que aparece no nosso programa. Fizemos contato com várias famílias que nos mostram como está a rotina (há uma rotina?) dentro de casa, com filhos pequenos e adolescentes. Como a família Imhoff em Florianópolis. A pequena Luísa completou 3 anos de idade e a festinha, que antes seria com as colegas da escola, foi feita com as bonecas da menina.

Repórter Flávia Peixoto entrevista a psicanalista Vera Iaconelli
Repórter Flávia Peixoto entrevista a psicanalista Vera Iaconelli - TV Brasil / Divulgação

A psicanalista Vera Iaconelli reforça que precisamos nos lembrar de que tudo isso vai passar.

“Com perdas e ganhos, mas a gente vai ultrapassar, a gente já ultrapassou guerras mundiais, a gente já ultrapassou depressão econômica mundial de 1929, a gente já ultrapassou muito sofrimento e a gente vai ultrapassar isso, sim, e depois vai ter que correr atrás de um monte de perdas, mas também de um monte de ganhos”.

A advogada Daniela Teixeira recebeu diagnóstico da covid-19, a doença causada pelo novo coronavírus. Daniela foi a primeira paciente do Distrito Federal que se curou da doença.

“Eu estou doida para abrir a porta e sair de casa, né? A gente ainda está em isolamento e como o mundo mudou em 20 dias. O mundo mudou, o país mudou, tudo mudou. É importante que a gente mude também”.

Apesar de o distanciamento entre as pessoas ser um procedimento utilizado desde a antiguidade para evitar o contágio de doenças, é na atual pandemia de coronavírus que está ocorrendo, pela primeira vez, uma quarentena de proporção global. A análise é do pesquisador e autor do livro Pandemias - a Humanidade em Risco, o infectologista do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, Stefan Cunha Ujvari.

Ao menos 1,5 bilhão de pessoas no mundo estão sendo afetadas pelas ações de combate ao coronavírus, como o fechamento de escolas, o isolamento social ou quarentenas. Os dados, da Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (Unesco), levam em conta somente o impacto nas crianças afastadas da escola, e mostram a força que uma pandemia tem em alterar o cotidiano das pessoas.

De acordo com o pesquisador, a atual pandemia tem ecos do passado, ou seja, elementos comuns às pandemias antigas, como o pânico e o aparecimento de fake news. No entanto, ela traz a novidade da realização de uma quarentena global, praticamente sendo feita, ao mesmo tempo, por centenas de países. 

“Não tem como a gente comparar [a atual pandemia]. É uma questão única essa, de praticamente a gente ter parado o planeta todo por causa de uma epidemia nova e todos os problemas que ela vai causar no sistema de saúde e, basicamente, na economia. Não tem uma comparação, é um caso único, de quarentena geral, de praticamente todos os países”, disse. 

Peste Negra

De acordo com o pesquisador, apesar das diferenças, muito do que as pessoas estão atualmente enfrentando, como o isolamento e a diminuição do comércio, já foi vivido pelas gerações que passaram por pandemias anteriores, como a Peste Negra ou Peste Bubônica, por exemplo.

“O comércio parava, porque as cidades próximas ficavam com medo da Peste Bubônica chegar na cidade. Fechavam os portões da cidade, não tinha trâmite comercial, a economia declinava naquela cidade. As pessoas ficavam dentro de casa, praticamente isoladas, porque elas achavam, naquela época, que uma das causas da epidemia eram os miasmas, que seriam gases venenosos que saíam do solo ou mesmo das pessoas que morriam”, disse.

A Peste Negra devastou a Europa entre 1347 e 1351, causando um número de mortes superior a qualquer outra epidemia ou guerra até então. Houve vários surtos graves da doença até 1400 no continente. Estudos indicam que a praga, surgida na China, foi causada pela bactéria Yersinia pestis, que infectava humanos por meio da pulga Xenopsylla cheopis, que geralmente vive em ratos.

“As pessoas ficavam dentro de casa, isoladas, janelas fechadas, para os ventos não trazerem os miasmas. Os cadáveres eram colocados na porta das casas e os órgãos dos governos das cidades levavam em carroças, enterravam em valas coletivas, era um verdadeiro caos”, disse Cunha.

A doença foi levada, por meio do transporte naval até os portos do Mar Mediterrâneo, de onde se espalhou afetando a Itália, o norte da África, Espanha, França, Áustria, Hungria, Suíça, Alemanha e Países Baixos. Em seguida, a epidemia atingiu a Inglaterra, a Escócia, Escandinávia e os países bálticos.

“Essa é a mais significativa epidemia porque em um curto espaço de tempo, ela matou um terço de toda a população da Europa. Depois disso, ficou eclodindo em algumas cidades até o século 18”, diz Cunha. 

A man wearing a protective face mask, following an outbreak of the coronavirus disease, walks past inside an almost empty convention complex in Tokyo, Japan
Isolamento social é medida comum em várias pandemias ao longo da história - REUTERS/Issei Kato/Direitos Reservados

Gripe Espanhola

Segundo o pesquisador, sempre houve nessas grandes epidemias uma característica básica que era o pânico. “A Gripe Espanhola de 1918 gerava pânico e hoje a gente vê que acaba a cloroquina nas farmácias, acabam máscaras. Naquela época, acabavam nas mercearias a cachaça, o alho e o limão, porque as pessoas acreditavam que eram substâncias que preveniam a doença”, disse Cunha. 

A epidemia de Gripe Espanhola, a partir de 1918, foi o surto de gripe mais grave do século 20. Considerando a mortalidade causada pela doença, foi uma das epidemias mais devastadora da história da humanidade. A doença, que afetou praticamente todo o mundo, era transmitida de pessoa para pessoa por meio de secreções respiratórias. A gripe foi causada por um subtipo H1N1 do vírus Influenza, e resultou na morte de 25 a 50 milhões de pessoas.

Estudos indicam que a epidemia começou a ser registrada nos Estados Unidos, no estado do Kansas. O primeiro surto ocorreu inicialmente em março de 1918, durante a Primeira Guerra Mundial. Em julho, o vírus atingiu a Polônia. A gripe era seguida, normalmente, de uma pneumonia, que podia matar poucos dias depois do aparecimento dos sintomas da gripe. 

Como a Espanha foi neutra na Primeira Guerra Mundial, a imprensa local – que não estava sob censura em razão do conflito – noticiava normalmente as ocorrências relativas à pandemia no país. Nos demais países que participavam do conflito, o tema era censurado nos jornais. Dessa forma, ilusoriamente, a Espanha registrava maior número de casos da doença, que acabou sendo batizada com o nome do país europeu.

No Brasil, a epidemia chegou em setembro de 1918, por meio do o navio inglês Demerara, vindo de Lisboa. Dele, desembarcaram pessoas em Recife, Salvador e Rio de Janeiro. Em pouco mais de duas semanas, além dessas cidades, surgiram casos de gripe em outras localidades do Nordeste e em São Paulo. Estima-se que, só no Rio de Janeiro, tenham morrido 14.348 pessoas. Em São Paulo, cerca de 2 mil pessoas morreram.

“No século 20, a gente teve a chegada da Gripe Espanhola no Brasil, uma espécie de globalização da doença. Aqui acabou tendo um impacto muito grande na economia e na mortalidade das grandes cidades brasileiras”, disse Cunha.

Gripe Suína

Noventa anos depois da Gripe Espanhola, uma nova cepa do vírus H1N1 Influenza voltou a circular e causou nova pandemia. Originalmente, a doença era chamada de gripe suína porque havia a suspeita de que o vírus tivesse sido transmitido ao homem a partir de porcos. A doença começou a ser registrada inicialmente no México e depois se espalhou pelos Estados Unidos. 

O surto de H1N1 de 2009 não foi tão mortal quanto a pandemia de 1918 a 1919. No entanto, o vírus era altamente contagioso e se espalhou rapidamente, o que fez com que a Organização Mundial da Saúde (OMS) emitisse um alerta de pandemia em abril de 2009.  “A gente teve a chegada de outra grande epidemia que foi a nossa gripe suína de 2009. Ela acabou chegando aqui causando surpresa, que foi a mortalidade de população jovem, e poupando os idosos”, disse Cunha. 

A Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo (SOCESP) faz um alerta no Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão, lembrado hoje26 de abril, e ressalta os cuidados essenciais, principalmente agora, por conta da pandemia do novo coronavírus.

“Durante a pandemia de coronavírus, os hipertensos merecem uma atenção especial. Eles devem tanto evitar o contágio pelo vírus, medida baseada principalmente no isolamento social, como manter os cuidados habituais para o controle da pressão arterial. E aqui me refiro ao uso regular de medicamentos, dieta equilibrada e prática de exercícios”, ressalta o assessor Científico da SOCESP, Flávio Borelli.

O cardiologista orienta que uma alimentação balanceada, com baixo consumo de sal, também é crucial. A SOCESP recomenda até 5 gramas de sal por dia, ou uma colher de chá. “É o limite de consumo, sem esquecer que o sal está presente em boa parte dos alimentos processados, como massas e temperos industrializados, facilmente encontrados na mesa dos brasileiros, mas que deveriam ser evitados”, alerta o cardiologista. Além do sal, os fatores de risco para hipertensão arterial são a idade, excesso de peso e obesidade, ingestão de álcool, sedentarismo, fatores socioeconômicos e genéticos.

A hipertensão é um dos principais fatores de risco para as doenças do coração. Segundo a entidade, 36 milhões de adultos brasileiros têm pressão alta. Entre os idosos, a hipertensão atinge 60%. A doença é responsável, direta ou indiretamente, por metade das mortes por doenças cardiovasculares, cerca de 200 mil óbitos todos os anos, informa a SOCESP.

A hipertensão não tratada está associada a eventos como morte súbita, acidente vascular cerebral (derrame), infarto agudo do miocárdio, insuficiência cardíaca, doença arterial periférica e doença renal crônica. “Nos casos de covid-19, o hipertenso não controlado tem mais complicações e maior mortalidade, conforme relatos e estudos internacionais”, explica o presidente da SOCESP, o cardiologista João Fernando Monteiro Ferreira.

Nas últimas três décadas, houve uma diminuição da incidência da hipertensão no Brasil de 36,1% para 31% da população adulta, conforme uma meta-análise contemplando 40 estudos científicos nacionais e publicados na 7ª Diretriz Brasileira de Hipertensão Arterial. Para o presidente da SOCESP, se houvesse uma adesão em massa, onde todos os brasileiros controlassem a sua pressão arterial, teríamos um salto significativo na redução de mortes por doenças cardiovasculares. “Provavelmente atingiríamos a meta da Organização Mundial da Saúde em reduzir em 25% os óbitos até 2.025”, destaca Ferreira.

Domingo, 26 Abril 2020 15:43

Mega-Sena acumula e vai a R$ 42 milhões

Nenhum apostador acertou os seis números da Mega-Sena sorteados nesse sábado (25) no Espaço Loterias Caixa, no terminal Rodoviário Tietê, em São Paulo.

Os números sorteados no concurso 2.255 foram: 15 – 20 – 39 – 41 – 49 – 57.

Na quina, 25 apostadores ganharam R$ 93.534,52. Os 2.144 ganhadores da quadra receberão o prêmio individual de R$ 1.558,07.

A estimativa de prêmio do próximo concurso é de R$ 42 milhões para quem acertar as seis dezenas da Mega-Sena. O concurso 2.256 será na quarta(29).

As apostas na Mega-Sena podem ser feitas até as 19h (horário de Brasília) do dia do sorteio em lotéricas ou pela internet.

A aposta simples, com seis dezenas, custa R$4,50.

AVISO DE LICITAÇÃO

TOMADA DE PREÇO Nº 001/2020

PROCESSO Nº 018/2020– SEMIO, OBJETO: IMPLANTAÇÃO DE INFRAESTRUTURA URBANA COM DRENAGENS E MANEJO DAS ÁGUAS PLUVIAIS URBANAS PARA PREVENÇÃO E CONTROLE DE DOENÇAS E AGRAVOS NO DISTRITO DE ENTRE RIOS, para atender as necessidades da Secretaria Municipal de Obras do MUNICÍPIO DE CAROEBE-RR, TIPO: MENOR PREÇO GLOBAL, RECEBIMENTO DE DOCUMENTAÇÃO–PROPOSTAS–ABERTURA. LOCAL: através da Comissão Permanente de Licitação no pátio da Escola Municipal Santa Brunhara Barbosa– situado a Rua Amazonas, s/nº - CentroCaroebe-RR, DATA DE ABERTURA: 11/05/2020-HORA: 09:00 (horário local). O Edital (e seus anexos) pode ser adquirido gratuitamente, solicitando por requerimento através do e-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo., em horário normal de expediente (EXCETO no feriado), das 08:00 as 12:00 horas .

AVISO DE LICITAÇÃO AVISO DE LICITAÇÃO

PREGÃO PRESENCIAL N°008/2020.

PROCESSO: 019/2020– SEMAGRI, OBJETO: Aquisição de Trator e Equipamentos para atender a bananicultura familiar no Município de Caroebe-RR, conforme as Propostas do Ministério da Integração social SUDAM, Convenio Nº 846699/2017. TIPO: MENOR PREÇO GLOBAL, RECEBIMENTO DE DOCUMENTAÇÃO–PROPOSTAS–ABERTURA. LOCAL: Pátio da Escola Municipal Santa Brunhara Barbosa (Rua Amazonas, s/n). DATA DE ABERTURA: 07/05/2019-HORA: 09:00 (horário local) O Edital (e seus anexos) pode ser adquirido gratuitamente e exclusivamente, através do e-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. e portal da transparência da Prefeitura Municipal de Caroebe-RR. 23 de Abril de 2020. MILSON MINARINI DE MELO Pregoeiro

PODER JUDICIÁRIO
Justiça Federal
Seção Judiciária em Roraima
Código da UASG: 90039

Pregão Eletrônico Nº 6/2020
Objeto: Objeto: Pregão Eletrônico - Contratação de empresa especializada para prestação de manutenção preventiva e corretiva, com fornecimento de peças e insumos, na porta giratória modelo Redor, marca Potter, equipada com detector de metais detronix, modelo cmd-ps, , conforme especi cações mínimas e quantidades estimadas constantes no Anexo I deste Edital 06/2020.
Edital a partir de: 24/04/2020 das 08:00 às 15:00 Hs
Endereço: Av. Getulio Vargas, 3999 - - Boa Vista (RR)
Telefone: 
Fax: 
Entrega da Proposta:  a partir de 24/04/2020 às 08:00Hs
Abertura da Proposta:  em 08/05/2020 às 09:30Hs, no endereço: www.comprasnet.gov.br

Tribunal Regional Eleitoral de Roraima
Código da UASG: 70028

Pregão Eletrônico Nº 11/2020
Objeto: Objeto: Pregão Eletrônico - Contratação de empresa especializada para a prestação de serviços de desinsetização, desratização e descupinização, com o fornecimento de mão de obra, insumos, materiais, equipamentos e ferramentas, necessários à execução dos serviços nas dependências do Tribunal Regional Eleitoral de Roraima e Cartórios Eleitorais.
Edital a partir de: 23/04/2020 das 08:00 às 12:00 Hs e das 12:01 às 15:00 Hs
Endereço: Av. Getulio Vargas, 225 Bairro Sao Pedro - - Boa Vista (RR)
Telefone: 
Fax: 
Entrega da Proposta:  a partir de 23/04/2020 às 08:00Hs
Abertura da Proposta:  em 06/05/2020 às 10:00Hs, no endereço: www.comprasnet.gov.br

Secretaria de Estado de Saúde/RR
Código da UASG: 456961

Pregão Eletrônico Nº 30/2020
Objeto: Objeto: Pregão Eletrônico - Aquisição de material permanente para mobiliar e equipar a Escola Técnica de Saúde do SUS em Roraima - ETSUS/RR, de acordo com as quantidades e especificações técnicas constantes do Termo de Referência Anexo I deste Edital.
Edital a partir de: 23/04/2020 das 08:00 às 12:00 Hs e das 14:00 às 17:59 Hs
Endereço: Rua Madri, Nº 180 - Bairro Aeroporto - Aeroporto - Boa Vista (RR)
Telefone: (0xx95) 21210584
Fax: (0xx95)
Entrega da Proposta:  a partir de 23/04/2020 às 08:00Hs
Abertura da Proposta:  em 06/05/2020 às 09:30Hs, no endereço: www.comprasnet.gov.br

PODER JUDICIÁRIO
Justiça Federal
Seção Judiciária em Roraima
Código da UASG: 90039

Pregão Eletrônico Nº 5/2020
Objeto: Objeto: Pregão Eletrônico - Registro de preço, visando aquisição futura e eventual de aparelhos de ar condicionado para a Seção Judiciária de Roraima, conforme especificações mínimas e quantidades estimadas constantes no Anexo I do Edital.
Edital a partir de: 23/04/2020 das 08:00 às 15:00 Hs
Endereço: Av. Getulio Vargas, 3999 - - Boa Vista (RR)
Telefone: 
Fax: 
Entrega da Proposta:  a partir de 23/04/2020 às 08:00Hs
Abertura da Proposta:  em 06/05/2020 às 10:30Hs, no endereço: www.comprasnet.gov.br