jrh log
ANO XIV - 1º jornal 100% online de Roraima desde 2014


Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Roraima foi destaque no recente encontro da Sudam realizado em Belém (PA) para discutir esses impedimentos 

0207 Encontro Sudam 1O estado de Roraima foi destaque no encontro de secretário de Meio Ambiente da Amazônia, realizado em Belém (PA), quarta-feira (29 de junho), que discutiu os entraves nos licenciamentos ambientais que têm dificultado o desenvolvimento da região. O destaque ficou por conta de a administração estadual ter conseguido superar estas dificuldades durante o ano de 2015.

Ao longo do ano passado os órgãos estaduais responsáveis pelo meio ambiente conseguiram acelerar processos e facilitar financiamentos. De acordo com os números mostrados durante o encontro, no ano de 2014 foram expedidos 23 licenciamentos ambientais. Em 2015, foram expedidos mais de 800 licenciamentos e em 2016, a Fundação Estadual do Meio Ambiente e Recursos Hídricos - Femarh contabilizou 277 expedições até o dia 30 de junho.

O encontro da Sudam em Belém teve as participações de representantes do IPAAM (Instituto de Proteção Ambiental do Estado do Amazonas), Basa (Banco da Amazônia) e toda a da instituição e representando o estado de Roraima, o presidente da Femarh, Rogério Martins, que lamentou que a Sudam envia recursos para os estados, mas por falta de licenciamento ambiental os produtores não conseguem finalizar os processos.

E arrematou que este não é o caso de Roraima, “pois não temos projetos que não tenham sido aprovados por falta de licença ambiental. É importante agilizar esses processos por que o produtor precisa plantar imediatamente e não pode esperar dois meses por uma licença”, argumentou Martins.

Segundo ele, a Fundação procurou as instituições financeiras no ano de 2015 e propôs acordo para que, caso tenham algum processo de financiamento pendente apenas por falta de licenciamento, as próprias enviem o número do protocolo feito na Femarh para que seja dada prioridade aos projetos.

Na agricultura familiar, segundo Martins, o que mais dificultava nos processos de licenciamento era a falta de informação jurídica. A Femarh designou técnicos para prestar esclarecimentos e resolver o problema superando os números. “O pequeno produtor pôde obter financiamento e aumentar sua produção por que tivemos um avanço muito grande no licenciamento ambiental”, destacou Martins.

0
0
0
s2smodern

logo JRH down