jrh log
ANO XIV - 1º jornal 100% online de Roraima desde 2014


Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Na área será implantado um projeto de agricultura com novas tecnologias 

1709 georreferenciamento 1O Centro de Geotecnologia, Cartografia e Planejamento Territorial da Secretaria Estadual de Planejamento e Desenvolvimento (Seplan), concluiu o georreferenciamento da área de um hectare na região do Ajarani, Terra Indígena Yanomami, no município de Caracaraí, onde será implantando o projeto-piloto Ajarani-Sabedoria Koiri (Caminho da Sabedoria).

Criado para atender à demanda apresentada pelos povos Yanomami e Yekuana, o projeto objetiva garantir segurança alimentar aos indígenas, por meio da produção de espécies frutíferas, madeiráveis, além do cultivo de culturas anuais, associados ao manejo de bovinos.

De acordo com o diretor do Departamento de Agronegócios (Deagro), da Seplan, Régis Monteiro, o documento com o mapa da área georreferenciada será entregue a representantes da Hutukara Associação Yanomami (HAY) e da Associação do Povo Ye’Kwana do Brasil (Apyb), para apresentação ao Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) visando à obtenção de licença ambiental, para realização das próximas fases do projeto.

Construído ao longo dos últimos quatro meses, a partir de solicitação feita pelo líder Yanomami, Davi Kopenawa, ao secretário de Planejamento e Desenvolvimento, Alexandre Henklain, o Projeto Ajarani- Sabedoria Koiri objetiva o desenvolvimento de um modelo de agricultura capaz de conciliar novas tecnologias com os conhecimentos ancestrais dos Yanomami e Yekuana. “Esperamos, até o final deste mês, começar os trabalhos com a perfuração do poço artesiano”, afirmou Regis Monteiro.

Por meio do sistema agroflorestal, serão cultivadas espécies de utilidade para os povos indígenas, criando alternativas de alimentação, por meio do extrativismo, e favorecendo o reflorestamento de áreas desmatadas. Haverá também inserção de culturas de ciclo mais rápido, todas definidas com base nos interesses e nas necessidades dos índios, e utilização de caiçaras, sistema de rotatividade de pasto com gado bovino, com o propósito de agregar elementos de melhoria do solo na área de um hectare onde deve ser executado o projeto-piloto.

Além de garantir alimentação mais nutritiva e consequente saúde para os povos da área do Ajarani, com o excedente da produção disponível para aqueles que estiverem internados por motivo de tratamento na Casa de Saúde Indígena (Casai), o projeto prevê ainda a disseminação de tecnologias entre os agentes de fomento agrícola, criando equipes de multiplicadores.

Conforme Régis Monteiro, todas as instituições parceiras, associações indígenas e órgãos governamentais das esferas federal, estadual e municipal, que contribuíram na elaboração do projeto, serão informadas sobre o término do trabalho de georreferenciamento, a fim de confirmarem os compromissos de cada uma na execução das próximas etapas. “Já temos o mapa com informações consolidadas daquela área. Agora, nesse segundo momento, encaminharemos ofício aos parceiros, para que eles ratifiquem o comprometimento assumido conosco em encontros anteriores”, ressaltou o diretor do Deagro.

COOPERAÇÃO – Entre os envolvidos na elaboração e realização do Projeto Ajarani-Sabedoria Koiri, conforme Régis Monteiro, a Seplan será responsável pela coordenação dos trabalhos; a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), além de contribuir com a transferência de tecnologia, acompanhará os serviços dos indígenas durante três anos; a Companhia de Água e Esgoto de Roraima (Caer) se comprometeu em perfurar o poço para irrigação da lavoura; o Instituto de Amparo à Ciência, Tecnologia e Inovação (Iact) ajudará na coleta de sementes.

A Fundação Nacional do Índio (Funai) vai cooperar com a doação de bovinos; a Secretaria Estadual do Índio (SEI) auxiliará na construção de caiçaras; a Fundação Estadual do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Femarh) distribuirá mudas de plantas; a (Secretaria Estadual de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Femarh) fará doação de mudas e acompanhamento técnico. A Agência de Defesa Agropecuária de Roraima (Aderr) fará verificação de sanidade animal e vegetal e o Instituto de Terras de Roraima (Iteraima) ofertará assessoramento especializado.

0
0
0
s2smodern

logo JRH down