Avaliação do Usuário

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa
 

Paralelo ao evento também ocorrerá o Congresso Roraimense de Arquitetura, Urbanismo, Engenharia e Agronomia

Com a proposta discussão por cidades que planejam o crescimento e respeitam o patrimônio, fruto da história e da cultura é que será promovido em Boa Vista o XV Seminário Internacional de Conservación Del Patrimonio, entre os dias 17 a 20 de setembro, no Centro Amazônico de Fronteira (CAF/UFRR). O evento é capitaneado pelo Conselho de Arquitetura e Urbanismo de Roraima (CAU/RR) e a coordenação do curso de Arquitetura da UFRR. Outro ponto abordado será estabelecer intercâmbio dos conhecimentos produzidos sobre as experiências de cidades que conservam e cuidam do patrimônio edificado.

O evento traz 3 eixos temáticos: Arquitetura, Urbanismo, Engenharia e Agronomia; Pensar a cidade do futuro: Que parâmetros considerar?; e Estudos comparados e circulação de ideias. Os assuntos trazem a abordagem em escala do edifício e das cidades, no que tange pesquisas e estudos desenvolvidos nas várias instituições latino-americanas.

O presidente do CAU/RR, Jorge Romano destaca a participação do Conselho na discussão por cidades planejadas e que respeitam a história social. “A construção do sonho da moradia na América latina. Vamos ouvir e trocar experiências com profissionais vindos de fora e saber como é que o patrimônio, a formação, a ética e a fiscalização ocorrem nos mais diversos países e principalmente saber como anda nossa cidade no que tange a valorização do patrimônio”, disse Romano.

A programação está voltada ao público da área tecnológica, com palestras e debates com profissionais do Brasil e do México em abordagens sobre Patrimônio, Cidade e os desafios da Sustentabilidade, com intuito de criar redes de conexões de trocas e debates sobre a relação da cidade com a contemporaneidade. É onde entram a formatação de planos para conservação do patrimônio com envolvimento da sociedade, o que para o conselheiro federal de arquitetura e urbanismo, Nikson Dias, requer cuidados, pois a participação do cidadão pode mudar o rumo das cidades para o bem.

“Em todas as amostras onde a população se apropriou, se tornou participante dessa construção, houve sucesso. Nosso foco será em restabelecer e ampliar os mecanismos de participação da população nas decisões que afetam as políticas públicas que atingem diretamente a moradia, ocupação da cidade e a conversação do patrimônio”, defendeu Dias.

A inscrição para o evento é gratuita, e pode ser feito on-line: https://www.even3.com.br/patrimonioxcidades. A gratuidade para estudantes e profissionais registrados no CAU ou CREA se encerra nesta sexta-feira (31). Demais profissionais ou sociedade em geral, podem participar como ouvintes.

A coordenadora do Curso de Arquitetura e Urbanismo da UFRR, professora doutora Graciete da Costa, disse que a programação terá o mais alto nível acadêmico de discussões em torno do tema. “Serão mesas redondas com debates dos quais participarão renomes da arquitetura, urbanismo, paisagismo e engenharia”. É um evento enriquecedor de ideias e fomentador de soluções para nosso patrimônio”, disse a professora.

Roraima não tem prédios tombados - Segundo o Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico) Roraima é o único estado brasileiro onde não há bens tombados no âmbito federal. O que preocupa especialistas no assunto, uma vez que a memória da sociedade reside no respeito e preservação do patrimônio histórico.

Para o presidente do Instituo Brasileiro de Arquitetura em Roraima (IAB), Rodrigo Ávila, o estado é um dos poucos mais novos da federação é tem muitos edifícios que deveriam ser tombados. “É uma luta constante do CAU/RR, do ministério público de Roraima, do IAB, do Iphan e outras intuições para que as autoridades se empenhem no tombamento do patrimônio. Acredito que o evento virá como oportunidade para elevar a discussão”, reclamou Ávila.

Como nasceu o seminário? - O Seminário faz parte de esforços em compartilhar reflexões neste campo iniciados desde a segunda década do século XX por acadêmicos latino-americanos como Ramón Gutiérrez, Roberto Segre, Mariana Waisman, Rafael López Rangel, Carlos Chanfón, Enrique X. de Anda Alanís, Eliana Cárdenas, Lourdes Gómez, Nestor Goulart Reis filho, Carlos Nelson Ferreira do Santos e outros.

0
0
0
s2smodern

logo JRH down