jrh log
ANO XIV - 1º jornal 100% online de Roraima desde 2014


Avaliação do Usuário

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa
 

No Estado, a parceria com a Fundação começou no final de 2015, quando a Biblioteca Pública de Roraima recebeu uma doação de livros inclusivos

A Fundação Dorina Nowill para Cegos e a Rede de Leitura de Roraima realizam na próxima quinta-feira, dia 14, palestras e debates com o tema “Diálogos sobre Leitura e Educação Inclusiva”. O evento conta com apoio do Governo do Estado e ocorrerá no auditório da Setrabes (Secretaria Estadual do Trabalho e Bem-Estar Social), na Avenida Mário Homem de Melo, das 14h às 18h.

Há mais de 70 anos promovendo a inclusão social de pessoas com deficiência visual, a Fundação Dorina Nowill, todo ano, envia um representante para realizar o encontro em Roraima. Já a Rede de Leitura existe em todos os estados da Federação e a parceria da Rede local com a Fundação começou em 2015, quando a Biblioteca Pública estadual recebeu uma doação de livros inclusivos.

Um dos organizadores do evento e responsável pela parceria com a Fundação, Tanner Menezes, fala sobre a cooperação. “Depois da parceria, comecei a fazer contatos com pessoas de organizações para inclusão e formamos a Rede de Leitura Inclusiva de Roraima. Depois, começamos a receber bastantes doações da Fundação Dorina Nowill”, explicou.

Sobre o evento, ele ressaltou que foram convidadas pessoas da área educacional. “Convidamos os profissionais da área de educação, das salas de leitura, e, principalmente, pessoas com deficiência visual que terão espaço para tirar dúvidas e opinar sobre os temas. Os participantes receberão certificados da Fundação Dorina Nowill para Cegos, que serão encaminhados por e-mail”, completou.

Para a secretária estadual de Educação e uma das palestrantes, Leila Perussolo, a educação inclusiva é um desafio em todas as dimensões. “É pensar um processo metodológico e pedagógico que realmente trabalhe, respeitando as especificidades, e, a partir da intervenção pedagógica, mediada por diferentes tecnologias, possa contribuir de forma mais igualitária, respeitando a identidade de todos que estão inseridos no processo educativo”, afirmou.

Ainda conforme a secretária, os desafios são muitos para que se tenha uma educação escolar inclusiva mais efetiva. “Precisamos melhorar nossas estruturas, locais, ambientes, e, principalmente, atitude de comportamento e de respeito deve ser priorizada. Isso deve ser desenvolvido na sociedade, porque estamos falando de pessoas que precisam ter a sua dignidade respeitada e valorizada em atenção às diferenças. Não no sentido de que essas diferenças tragam inferioridade, mas no sentido de que cada pessoa é única nesse contexto”, finalizou.

A Fundação Dorina Nowill para Cegos é uma organização sem fins lucrativos
e de caráter filantrópico. Há mais de 70 anos, dedica-se à inclusão social de pessoas com deficiência visual. Uma das formas do trabalho de inclusão é por meio da produção e distribuição gratuita de livros em braile, falados e digitais acessíveis, diretamente para o público e também para cerca de 3000 escolas, bibliotecas e organizações de todo o Brasil, além de cursos, capacitações e consultorias.

0
0
0
s2smodern

logo JRH down