Avaliação do Usuário

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa
 

A Base Nacional Comum Curricular (BNCC) deve nortear os currículos dos sistemas e redes de ensino do Brasil, alinhando as propostas pedagógicas de todas as escolas públicas e privadas de Educação Infantil, Ensino Fundamental e Ensino Médio. Desde sua oficialização, as instituições têm feito um grande exercício para entender as adaptações necessárias.

Muitas das mudanças previstas são estruturais, mas existem outras que são conceituais, trazendo um novo vocabulário para o ambiente escolar. Para compreender essas alterações, o SAS Plataforma de Educação mapeou os principais termos emergidos nesta era pós-BNCC. São eles:

EDUCAÇÃO INFANTIL

Campos de experiências - Areas em que são definidos os objetivos de aprendizagem e desenvolvimento que norteiam o trabalho do professor através de experiências, que privilegiam o aprendizado e desenvolvimento das crianças. Para a Rebeca Veras, Especialista Pedagógica do SAS Plataforma de Educação, esse novo termo tem a proposta de garantir um trabalho intencional a partir dos valores, habilidades e atitudes essenciais para o desenvolvimento de crianças de 0 a 5 anos de idade.

“A ideia é fazer uso do conviver, brincar, participar, explorar, expressar e conhecer-se”, pontua. A base propõe os seguintes campos: “O eu, o outro e o nós”, “Corpo, gestos e movimentos”, “Traços, sons, cores e formas”, “Escuta, fala, pensamento e imaginação” e “Espaços, tempos, quantidades, relações e transformações”.

Eixos estruturantes - Trata-se de um conjunto de práticas pedagógicas a serem realizadas durante a Educação Infantil. A base, ainda de acordo com as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil (DCNEI), adota dois eixos: interações e brincadeiras.

Aprendizagem e desenvolvimento - São as assimilações essenciais para alunos da Educação Infantil, que compreendem comportamentos, habilidades, conhecimentos e vivências.

ENSINO FUNDAMENTAL:

De acordo a Especialista Pedagógica, alterou-se a organização do ensino fundamental, que deixou de ser classificado como I e II e passou a ser dividido entre Anos Iniciais, compreendendo os cinco primeiros anos da etapa (1º ao 5º ano) e Anos Finais, englobando do 6º ano 9º ano. Além disso, alguns conceitos foram adaptados:

Componente Curricular - Antes visto como disciplina, hoje diz respeito ao conjunto de saberes a serem aprendidos ao longo da Educação Básica. Por exemplo, no 2º ano do Ensino Fundamental, existem os componentes curriculares Língua Portuguesa, Arte, Educação Física, Língua Inglesa, Matemática, Ciências, Geografia, História e Ensino Religioso.

Área de Conhecimento - São as dimensões maiores em que se encaixam os componentes curriculares. São elas: Linguagens, Matemática, Ciências Humanas, Ciências da Natureza e Ensino Religioso, que, de acordo com o documento, é obrigatória para as escolas públicas e facultativa para particulares.

Objeto de conhecimento - Anteriormente tido como conteúdo, agora desempenha um papel de assuntos abordados ao longo de cada componente curricular, ou seja, aquilo que será o meio para o desenvolvimento das habilidades. Por exemplo, objetos de conhecimento, em Ciências, podem ser “Seres vivos no ambiente”, “Plantas”, “Usos do solo”, etc.

Unidades temáticas – É um agrupamento de assuntos trabalhados ao longo do Ensino Fundamental. Cada unidade temática contempla um grupo de objetos de conhecimento, que por sua vez se relaciona a um número de habilidades. Por exemplo, em Ciências, existe a unidade temática “Vida e Evolução”, que trabalha objetos de conhecimento, como X, Y e Z e está associado ao desenvolvimento de habilidades, como X, Y e Z.

Competências - A mobilização de conhecimentos (conceitos e procedimentos), habilidades (práticas, cognitivas e socioemocionais), atitudes e valores para resolver demandas complexas do dia a dia. Além das 10 competências gerais da Educação Básica, cada área do conhecimento e cada componente curricular terão competências específicas a serem desenvolvidas. Em Ciências Humanas, para o Ensino Fundamental, uma das competências apresentadas é “Comparar eventos ocorridos simultaneamente no mesmo espaço e em espaços variados, e eventos ocorridos em tempos diferentes no mesmo espaço e em espaços variados.”

Habilidade - São ações a serem praticadas para que se entenda profundamente os desdobramentos dos assuntos apresentados em cada componente curricular. Por exemplo, em Matemática, 6º ano, existe a habilidade “Resolver e elaborar problemas que envolvam as ideias de múltiplo e de divisor” relacionada ao objeto do conhecimento “Números primos e compostos”, isto é, o aluno só consegue entender tal assunto se conseguir desenvolver essa habilidade. “É um dos pontos mais importantes propostos pelo documento, pois com essa mudança o objetivo maior do professor é o desenvolvimento de conhecimento e não mais de conteúdo pelo conteúdo”, conclui Rebeca.

Fonte: SAS Plataforma de Educação entidade que desenvolve conteúdo, tecnologia e serviços para mais de 780 escolas em todo o Brasil.

0
0
0
s2smodern

logo JRH down