jrh log
ANO XIV - 1º jornal 100% online de Roraima desde 2014


Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

1103 Audiencia publica migracao venezuelanos 2A secretária estadual de Assuntos Internacionais, Verônica Caro, e o coordenador do Centro de Referência do Imigrante, tenente Fernando Troster, participaram ao longo de sexta-feira, 10 de março, de uma Audiência Pública que discutiu a situação dos imigrantes venezuelanos que vivem no Estado.

Idealizada pelo Ministério Público Federal em Roraima (MPF/RR) o evento foi aberto ao público no auditório Alexandre Borges, na Universidade Federal de Roraima, encerrando-se por volta das 18h.

Coordenaram os trabalhos o procurador da República do MPF/RR, José Gladston Viana Correia, que atua na defesa dos direitos indígenas, além do procurador regional dos Direitos do Cidadão em Roraima e o procurador federal dos Direitos do Cidadão adjunto e representante da 6ª Câmara de Coordenação e Revisão do MPF, João Akira Omoto.

Conforme Verônica Caro, a audiência foi uma oportunidade para ouvir todos os seguimentos envolvidos na assistência ao imigrante e também dar mais dignidade aos venezuelanos. “A governadora Suely Campos vem trabalhando desde o começo desta crise migratória para atender estes venezuelanos e ajudá-los. Hoje nós estamos aqui para colaborar com a discussão buscar meios de tornar a convivência de todos os lados muito melhor”, comentou.

Para o tenente Fernando Troster, é importante ouvir que o os imigrantes têm a dizer e também repassar a mensagem de apoio do governo do Estado. “Nós como Centro e também Defesa Civil estamos aqui com a ideia de que fiquem expostas as dificuldades que todos os lados enfrentam para que assim possamos elaborar políticas públicas que ajudem a todos”, ressaltou.

O evento teve a participação também da Defensoria Pública da União, prefeituras dos municípios de Boa Vista e Pacaraima, Agência da Organização das Nações Unidas para Refugiados, Conselho Nacional de Imigração, Comitê Nacional para os Refugiados, Ministério da Justiça, Fundação Nacional do Índio, Casa Civil da Presidência da República, Reitoria da UFRR e lideranças indígenas venezuelanas e de representantes dos migrantes não indígenas.

Quatro mesas de debates, duas pela manhã e duas pela tarde, discutiram temas relacionados à assistência social, ao trabalho, à saúde, à educação e ao abrigamento dos venezuelanos, bem como sobre a situação específica dos migrantes indígenas. Os dados coletados vão instruir procedimentos administrativos instaurados no MPF.

O representante da Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão, procurador João Akira, afirmou ao abrir a audiência que este é o momento de se analisar a fundo a situação dos venezuelanos que vêm para o Brasil em busca de uma vida melhor. “Temos que lembrar que são pessoas buscando tudo o que nós também queremos, que sofrem, passam fome, têm problemas de saúde, por isso é tão importante buscar meios de melhorar a situação deles”, analisou.

0
0
0
s2smodern

logo JRH down