jrh log
ANO XIV - 1º jornal 100% online de Roraima desde 2014


Avaliação do Usuário

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa
 

Violência psicológica é tipo de agressão mais recorrente e desconhecida pelas mulheres

Muitas pessoas são vítimas de violências e não conseguem perceber que estão sofrendo agressão, ameaça ou ofensa. Por este motivo, a Procuradoria Especial da Mulher (PEM), ligada à Assembleia Legislativa de Roraima, tem realizado uma série de palestras por todo o Estado, com foco de informar sobre as leis de proteção, os tipos de violência doméstica e sobre a saúde da mulher.

Neste mês já foram realizadas palestras em Boa Vista, Caracaraí, Alto Alegre, Pacaraima e Cantá. A cada ação realizada, uma ou várias mulheres sentem como se as palavras estivessem sendo ditas diretamente para elas. “Disseram muita coisa que eu não estava ciente. Uma palavra dói mais do que um tapa e eu não sabia que isso era um crime", disse uma das espectadoras da palestra ministrada pela equipe do Chame (Centro Humanitário de Apoio a Mulher) na última sexta-feira (22), no Cantá.

A palestra ocorreu no Centro de Referência em Assistência Social (Cras) do município, na qual participaram moradoras da região e as profissionais da unidade, como a assistente social, Raimunda Anunciação que trabalha com as famílias em situação de vulnerabilidade social. "Como a gente convive com muitas mulheres pedindo informação aqui, se alguém vier pedindo ajuda, teremos noção de como agir", disse.

2603 Violencia Conta A Mulher Chame Foto Eduardo Andrade 102

Violência psicológica - Diferente do que se imagina, não é preciso ser agredida fisicamente para estar em uma relação violenta. Algumas palavras e atitudes podem ferir a autoestima de uma mulher tanto quanto. E isso tem nome: violência psicológica. Esta é a forma mais subjetiva e, por isso, difícil de identificar.

A advogada do Chame, Fabiana Baraúna, explica que a violência psicológica é o tipo de agressão menos conhecida pelas mulheres. "A palestra é uma forma de quebrar esse ciclo de violência. Muitas mulheres quando passam por essa situação, não sabem o que fazer e desconhecem os seus direitos", informou.

Segundo definição da Organização Mundial de Saúde (OMS) a violência psicológica é entendida como: “Qualquer conduta que lhe cause dano emocional e diminuição da autoestima ou que lhe prejudique e perturbe o pleno desenvolvimento ou que vise degradar ou controlar suas ações, comportamentos, crenças e decisões, mediante ameaça, constrangimento, humilhação, manipulação, isolamento, vigilância constante, perseguição contumaz, insulto, chantagem, ridicularização, exploração e limitação do direito de ir e vir ou qualquer outro meio que lhe cause prejuízo à saúde psicológica e à autodeterminação.”

Quem se identificar em uma situação de violência ou ainda a instituição que quiser solicitar uma palestra do Chame, pode procurar a instituição pelo na rua Coronel Pinto, 524 ou pelo telefone (95) 98801-0522. As vítimas podem ter atendimento ainda por meio do ZapChame 98402-0502, que funciona 24 horas, todos os dias, e atende pessoas tanto da Capital quanto do Interior.

0
0
0
s2smodern

logo JRH down