Avaliação do Usuário

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa
 

A Assembleia Legislativa de Roraima, terça-feira (14) à tarde, realizou a solenidade de casamento coletivo. Este foi a primeira solenidade do gênero casa do Povo e contou a parceria do Cartório Loureiro.

Além dos trâmites tradicionais de um casamento, oficializado pelo juiz de paz Joziel Loureiro, o casamento coletivo contou com uma novidade: para dizer “sim”, os noivos tiveram que registrar em painel eletrônico, o voto favorável. A cerimônia foi embalada pelos alunos do coral do programa Abrindo Caminhos.

Um por um, cada casal foi convidado a trocar alianças e registrar o “sim” no painel eletrônico. Ao final, recebiam pelas mãos de convidados, a certidão de casamento emitido pelo Cartório Loureiro.

Promoção da cidadania - O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Jalser Renier (SD), conduziu a cerimônia acompanhado da esposa, Cinthya Padilha. “Em parceria com o cartório, significa que estamos integrando a nossa sociedade numa situação totalmente diferente. Isso é muito legal, é algo em que a Assembleia Legislativa está inovando”. Ele afirmou que a pretensão é incluir a realização destes casamentos comunitários no calendário de celebrações do Poder Legislativo.

O responsável pelo cartório, Joziel Loureiro, afirmou que a pretensão de continuar a parceria com o Poder Legislativo. “Abrimos uma nova relação entre os representantes e os representados. Hoje a Casa do Povo se veste de Povo, colocam o véu e a grinalda para celebrar algo comum que é o casamento”.

O casamento no registro Civil, segundo a defensora pública Elceni Diogo, é a garantia de cidadania para o cidadão. “Eles têm a prova do relacionamento, além de ser a realização de um sonho de muitos homens e de muitas mulheres, se tem uma prova da existência desse relacionamento, o que para o mundo jurídico é muito importante”.

Participaram do I Casamento Coletivo na Casa do Povo as deputadas Ione Pedroso (SD), Catarina Guerra (SD), Lenir Rodrigues (Cidadania), Angela Águida Portella (PP) e os deputado Renan Filho (PRB) e Eder Lourinho (PTC). Estiveram presentes ainda a diretora do Centro de Referência e Saúde da Mulher, Marília Pinto, a promotora de Justiça do Ministério Público, Jeanne Sampaio e a defensora pública, Elceni Diogo.

0
0
0
s2smodern

logo JRH down