Avaliação do Usuário

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa
 

A Secretaria de Estado da Saúde - Sesau emitiu um alerta para as unidades de saúde de todos os municípios, para que reforcem a vigilância contra o sarampo. A principal orientação é que qualquer caso suspeito seja notificado em até 24 horas, o que possibilitará que medidas de controle sejam realizadas em tempo oportuno, interrompendo a cadeia de transmissão.

Em casos suspeitos, deve ser realizado isolamento respiratório do paciente e coleta de amostras para exames de sangue, urina e secreção por via nasal e pela faringe, para diagnóstico laboratorial.

Nos últimos sábado, 17, e domingo, 18, 15 técnicos e bioquímicos do laboratório do Hospital da Criança Santo Antônio foram treinados pelo Laboratório Central de Saúde Pública de Roraima - Lacen para coletar amostras corretamente. O treinamento foi realizado no Pronto Atendimento Cosme e Silva e, agora segue para as demais unidades.

SUSPEITA - A nota também traz a definição de casos suspeitos: todo paciente que, independentemente da idade e da situação vacinal, apresentar febre e exantema maculopapular (erupção cutânea caracterizada por uma área vermelha e plana na pele com pápulas), acompanhados de um ou mais dos seguintes sinais e sintomas: tosse e/ou coriza e/ou conjuntivite. Ou todo indivíduo suspeito com história de viagem ao exterior nos últimos 30 dias, ou de contato, no mesmo período, com alguém que viajou ao exterior.

A coordenadora geral de Vigilância em Saúde, Daniela Souza, enfatizou que o alerta faz parte de um conjunto de ações para manter a eliminação do sarampo mediante uma vigilância epidemiológica eficiente. “O sistema de vigilância deve fazer a identificação e a notificação imediata de todo e qualquer caso suspeito na população, com medidas de controle pertinentes, além de monitorar as condições de risco”.

O SARAMPO NO BRASIL E NO MUNDO - Até o momento, foram notificados oito casos suspeitos em Boa Vista, sendo um confirmado laboratorialmente e sete em investigação. A primeira pessoa diagnosticada com a doença foi uma menina de um ano de idade, venezuelana, não vacinada, que apresentou febre, exantema, acompanhado de tosse, coriza e irritação ao redor dos olhos.

0
0
0
s2smodern

logo JRH down