Avaliação do Usuário

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa
 

O grande dia de mobilização contra o sarampo e a poliomielite acorreu neste sábado (18) e registrou um índice menor do que o esperado em quase todas as capitais do país. Em Boa Vista apesar de a Prefeitura Municipal ter disponibilizado 43 pontos de vacinação em toda a cidade, os resultados preliminares até as 17h, foram de 10.290 doses das vacinas, sendo 5.910 contra a pólio (25,25% do público esperado) e 4.380 contra o sarampo (18,71%).

A meta é imunizar 95% das crianças dentro na faixa etária estabelecida. A campanha segue até o dia 31, nas Unidades Básicas de Saúde, nas salas de vacinas do Cernutri e na sede do Programa Família que Acolhe. O secretário municipal adjunto de saúde, Cassio Gomes afirma que os números são preocupantes.

“Temos feito uma força-tarefa desde que começou a campanha para imunizar as crianças que ainda não receberam as vacinas e no sábado disponibilizamos diversos pontos em locais estratégicos, ainda assim, a adesão foi muito baixa, e isso nos preocupa bastante, devido o surto do sarampo em nosso Estado”, disse o secretário.

Além das doses das vacinas, foram administradas também nas crianças de seis meses a cinco anos, a vitamina A. A autônoma Monica Catanhede, 30, foi uma das mães que buscou a Unidade do Buritis e cumpriu com esse ato de cidadania e amor. Ela levou os filhos, Nívea de 12 anos e Gustavo de 3, para receber as doses.

“Soube que hoje as unidades estariam abertas e já os trouxe. É um dia ótimo para vacinar, pois durante a semana quase não temos tempo. Sei da importância da vacina, principalmente a da pólio, conheço uma pessoa que hoje sofre as sequelas por não ter tomado a vacina”, contou.

Quem deve receber as doses das vacinas – Contra a poliomielite: Crianças de 1 a menores de 5 anos. Contra o sarampo: Crianças de seis meses até 14 anos independente de quantas doses já tomou.

Consequências de não vacinar contra poliomielite – causa a paralisia infantil, sendo capaz de provocar sequelas permanentes, insuficiência respiratória e levar o paciente a óbito. Em grande parte dos casos a doença ocorre nos membros inferiores.

Sarampo – a doença pode ser grave, com acometimento do sistema nervoso central e pode complicar com infecções secundárias como pneumonia, podendo levar à morte. As complicações atingem mais gravemente os desnutridos, os recém-nascidos, as gestantes e as pessoas com imunodeficiências.

A superintendente de vigilância em saúde, Francinete Rodrigues convida pais e responsáveis para cumprirem esse ato de cidadania. “Nos preocupamos muito com a baixa adesão, pois se as crianças não estiverem protegidas estarão suscetíveis a contrair as doenças, convidamos todos os pais e responsáveis para levarem seus filhos até uma Unidade de Saúde”, frisou.

0
0
0
s2smodern

logo JRH down