Avaliação do Usuário

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa
 

Além dos cuidados alimentares, os cosméticos orgânicos são grandes aliados nesse processo e ainda ajudam a reparar os danos causados

Os sinais do tempo chegam para todos, mas algumas pessoas são mais afetadas do que outras. Seja por questões genéticas ou por agentes externos, o fato é que muitos podem aparentar, até mesmo, ter mais idade do que realmente têm. Diversos fatores influenciam sobre o envelhecimento, mas existem alguns cuidados que ajudam a minimizar a ação do tempo e deixar os ponteiros do relógio a nosso favor. E, entre eles, há um em especial que consegue impedir que os anos corram fora do ritmo: o uso de antioxidantes. Essas substâncias são compostas por vitaminas, minerais e outros elementos que evitam a oxidação da estrutura celular. Além disso, eles também são fundamentais para proteger células saudáveis de danos no DNA.

Nosso organismo é capaz de produzir alguns antioxidantes, mas outros, como as vitaminas C, E e o betacaroteno, devem ser supridos através da alimentação ou produtos cosméticos. Há uma grande variedade de ingredientes ricos nessas substâncias, como vegetais, frutas, legumes, hortaliças e cereais. E, já é cientificamente provado que, além de combater os efeitos nocivos do envelhecimento, alguns antioxidantes ainda atuam diretamente na prevenção contra doenças cardíacas e derrames. Mas, para aproveitar ao máximo todos os seus benefícios é preciso investir no combo: alimentação e uso tópico.

Radicais livres X Antioxidantes

A oxidação é um processo químico natural do corpo que acontece frequentemente, resultando em moléculas instáveis chamadas de radicais livres. Eles contêm um ou mais elétrons não pareados, que são altamente reativos. Em quantidades pequenas, os radicais livres se tornam úteis à saúde, pois desempenham um papel importante em algumas atividades, como transferência de elétrons para atingir a estabilidade. Porém, em excesso, eles podem ser tóxicos ao nosso organismo e atacar alvos em nossas células para conseguir estabilizar sua estrutura. Esse "ataque" fica mais evidente na pele, que sofre com alterações, como descoloração, ressecamento, perda de elasticidade e formação acelerada de rugas.

Além disso, esse processo, conhecido como "estresse oxidativo", prejudica o funcionamento celular e gera diversos problemas, levando ao desenvolvimento de patologias crônicas, como a aterosclerose, obesidade, diabetes e hipertensão, ou doenças degenerativas, como o Alzheimer e o Parkinson, além de promover o envelhecimento das células mais rápido. Mas e qual o papel do antioxidante nessa história? Segundo a médica Maria Clara Couto, consultora do portal Use Orgânico, é aí que entra a ação dos antioxidantes: “Eles conseguem proteger nossas células, pois são capazes de neutralizar a ação dos radicais livres através da doação de um elétron” – explica Couto – especialista em dermatologia.

Fatores agravantes - Para evitar um excesso prejudicial ao organismo, o corpo produz compostos que regulam o nível dos radicais livres. No entanto, quando a dieta está desequilibrada, rica em produtos industrializados, carboidratos simples, gorduras saturadas e trans, essa produção se torna ineficiente e não consegue inibir a ação de todas as moléculas. Além disso, a carência de nutrientes também promove o aumento de radicais livres que atuam na pele, diminuindo assim a proliferação celular e aumentando o envelhecimento cutâneo. Mas, além da alimentação, há outros fatores que podem agravar esse quadro. Segundo Couto, há agentes externos, como a poluição e exposição aos raios solares, e internos, como o hábito de fumar ou, até mesmo, o estresse. Isso sem falar da genética, que também contribui para elevar ou reduzir os níveis de radicais livres.

O antídoto - Uma dieta rica em frutas, vegetais e grãos integrais, especialmente crus, pode fornecer ao corpo o aporte necessário para que o organismo tenha uma absorção eficaz dos antioxidantes que ele precisa para funcionar corretamente. Além disso, a ingestão adequada de água também é fundamental para combater a retenção de líquidos e eliminar as toxinas. Segundo Couto, essa prática contribui para fortalecer o sistema imunológico e minimiza os riscos de doenças. Mas é aí que muitas pessoas pecam. “Com a correria do dia a dia, muitas vezes, o cardápio deixa a desejar e a ingestão de água passa longe do recomendado, que é de 2 litros ao dia. Além disso a poluição, cigarro, estresse e outros fatores podem agravar o estresse oxidativo. Tudo isso faz com que o organismo sinta os efeitos negativos dos radicais livres, que aparecem, especialmente, na pele. Para reverter esse quadro os cosméticos são grandes aliados, pois auxiliam no processo de recuperação e prevenção de novos danos”.

Cosméticos orgânicos se destacam

Felizmente, nos últimos tempos, as pessoas vêm demonstrando uma consciência maior sobre o assunto. De acordo com uma pesquisa especializada, realizada pelo portal Use Orgânico, 82,5% dos consumidores afirmam que se preocupam com a qualidade dos produtos usados na pele, unhas e cabelos tanto quanto a dos alimentos ingeridos. Para a maioria (64%), os produtos orgânicos têm qualidade superior aos convencionais e, quando se trata da escolha dos cosméticos, 48% deles se interessam mais pelos itens com apelo natural, ou com menos aditivos químicos (26%).

Segundo Couto, essa crença não está errada: “O uso de cosméticos orgânicos e naturais reduz os riscos de processos alérgicos devido ao baixo percentual ou, até mesmo, inexistência de ativos sintéticos na composição do produto. Além disso, tais itens são formulados para valorizar a maior concentração dos ativos naturais, preservando ao máximo suas propriedades benéficas e garantindo o melhor resultado. Por isso a linha orgânica vem se destacando cada vez mais. Isso sem falar no engajamento social, que atrai uma boa parcela de consumidores, promovendo o incentivo ao desenvolvimento de pequenos produtores e consumo sustentável” – explica Couto.

Como identificar no rótulo

Vitaminas do complexo B: Elas contribuem para o funcionamento de enzimas antioxidantes e também atuam na produção do colágeno;

Vitamina C: Esse nutriente, além de ser um poderoso antioxidante, é importante para a síntese de colágeno e ainda tem a função de uniformizar o tom da pele;

Vitamina E: Possui efeito emoliente e anti-inflamatório, que combate a ação nociva dos radicais livres e previne contra o envelhecimento precoce;
Betacaroteno: Essa substância é convertida em vitamina A no organismo e ajuda a proteger a pele contra os danos causados pelos raios ultravioletas. Além disso, também atua na produção de colágeno e elastina, proteínas que dão sustentação e firmeza para pele;

Chá verde: Com ação anti-inflamatória, adstringente e bactericida, ele reduz o processo oxidativo, e preserva o DNA das células, ajudando na formação do colágeno;

Ômega-3: Esse ácido graxo é altamente anti-inflamatório e ajuda a manter a hidratação da pele, além da ação antioxidante;

Niacinamida: É amplamente utilizada nos tratamentos de acne, devido à sua ação anti-inflamatória. Além disso é despigmentante e efetiva no sistema imunológico cutâneo;

Polifenóis e flavonóiides: Além da ação antioxidante, eles também combatem os radicais livres e reparam seus efeitos nocivos à pele, como manchas e rugas.

Retinol: Esse ácido, derivado da vitamina A, trabalha na síntese do DNA, estimulando a produção do colágeno e promovendo a renovação celular.

Licopeno: Estimula o sistema imunológico do corpo e, consequentemente combate os radicais livres, devido à sua ação antioxidante.

Resveratrol: Essa substância combate o envelhecimento precoce ajudando a melhorar a circulação e auxiliando na eliminação de toxinas do organismo.

Alguns estudos mostram que estes antioxidantes possuem um poderoso efeito antienvelhecimento, capaz de amenizar as rugas faciais e estimular a renovação celular, ajudando a melhorar a saúde da cútis e dos cabelos. “É importante ressaltar que para conseguir extrair todos os efeitos benéficos dos antioxidantes, além de adotar o uso tópico regular de produtos ricos nessas substâncias, é preciso adotar um cardápio equilibrado, que favoreça todo o conjunto, ao invés de um ou outro isoladamente. Assim, é possível alcançar os resultados desejados contra os efeitos nocivos dos radicais livres e manter a saúde da pele em dia” – finaliza a especialista.

0
0
0
s2smodern

logo JRH down