jrh log
ANO XIV - 1º jornal 100% online de Roraima desde 2014


Avaliação do Usuário

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa
 

Os estudantes passam pelas UTIs (Unidade de Tratamento Intensivo), Bloco B, Bloco E e Grande Trauma

O estágio é uma oportunidade de vivenciar na prática o que se aprende nos livros em sala de aula. Para proporcionar esta experiência prática aos acadêmicos, a Faculdade Cathedral mantêm convênio com o HGR - Hospital Geral de Roraima para que os estudantes da área da Saúde como Fisioterapia, Odontologia, Psicologia e Farmácia possam fazer estágio no hospital.

Mariana Gavanski, Priscila Dama, Ugo Viana e Thaísa Mota estão entre os 22 acadêmicos do curso de Fisioterapia, todos do 10º semestre, que fazem estágio no HGR. No hospital, eles passam pelas UTIs - Unidade de Tratamento Intensivo, Bloco B, Bloco E e no Grande Trauma.

“Eles passam oito dias em cada setor com atuação na Fisioterapia em terapia intensiva, Fisioterapia em urgência e emergência e Fisioterapia traumato - ortopedia”, explicou o professor doutor Thiago Reis, que su-pervisiona o estágio na parte da UTI.

Os estudantes estão todos os dias no hospital e precisam fazer o ciclo que é uma semana em cada setor. Nesta semana, os quatro acadêmicos entrevistados estão em estágio na UTI. “Uma oportunidade ímpar em que busca colocar na vivência profissional o que a teoria ensina fazer. Estagiar é fazer saber”, disse o Diretor Acadêmico da Cathedral, professor doutor Bismarck Diniz.

Em cada Bloco é uma experiência diferente. “No primeiro atendimento a gente sempre fica ansiosa e com um pouco de insegurança, mas logo passa. Está sendo muito gratificante vivenciar este momento”, disse Pris-cila Dama. “A prática é diferente da teoria. O que a gente aprende em sala é tudo certinho. Mas quando se depara com o paciente tem que saber lidar, uma vez que cada um tem suas particularidades e precisamos nos adaptar, mas sempre seguindo o que nos foi ensinado em sala de aula”, comentou Mariana Gavanski.

Um dos pacientes atendido pela Thaísa Mota e Ugo Viana sofreu acidente de motocicleta e foi parar na UTI. Os exercícios feito nele são para re-cuperação da parte motora. “Ele não precisa mais ser aspirado. Agora estamos trabalhando a parte motora com exercícios de alongamento, for-talecimento e alguns exercícios respiratórios”, explicaram. Cada desafio vencido é uma conquista. “Meu maior desafio é na UTI porque os pacien-tes estão em situações mais delicadas”, comentou Thaísa.

O fisioterapeuta Thiago Reis ressalta a importância da vivência hospitalar pelos acadêmicos. “Eles adquirem habilidades da prática clínica, além do crescimento tanto intelectual como profissional por conta do contato com a equipe multiprofissional”, observou.

Reis é doutor em Patologia, mestre em Pneumologia e também em Terapia Intensiva. A fisioterapeuta e professora Yonara Julia Teles supervisiona os alunos em estágio na parte dos Blocos. Ela também supervisiona os alunos que fazem atendimento no Ginásio Ortopédico na Clínica Escola de Fisioterapia da Faculdade Cathedral.

0
0
0
s2smodern

logo JRH down