Avaliação do Usuário

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa
 

No ano de 2017 foram 75.927 atendimentos de urgência e emergência registrados no Ciops

Até fevereiro próximo, o atendimento do Corpo de Bombeiros Militar - CBMR vai estar disponível pelo número 190. Com isso, o número de emergência passa a ser unificado e é possível acionar rapidamente as Polícias Militar e Civil, Serviço de Atendimento Móvel de Urgência - Samu e Bombeiros em apenas uma chamada.

O Centro Integrado de Operações de Segurança - Ciops) é quem integra todas essas forças de segurança e é responsável por atender as chamadas, acelerar o atendimento à população e facilitar a chegada das viaturas ou ambulâncias no local do ocorrido.

Parte integrante da Secretaria de Estado da Segurança Pública - SESP, o Ciops recebeu 75.927 mil ligações no ano de 2017, para diversos tipos de atendimentos de urgência e emergência. Um aumento de mais de 2.300 ligações se comparadas ao ano de 2016, quando houve 73.533 atendimentos.

Segundo o coordenador do Ciops, Cláudio Lima, o aumento da demanda exige que novas estratégias sejam criadas para dinamizar os atendimentos. “A cada novo ano nós temos aumento significativo de procura, diante disso, procuramos constantemente melhorar o nosso Centro Integrado para dar mais apoio às forças de segurança. No final do ano passado o Samu foi integrado ao Ciops e agora temos os Bombeiros, possibilitando um atendimento completo para a população”, frisou.

Para este ano, a expectativa, segundo o coordenador do Ciops, é o aumento ainda maior de atendimentos. “A população acredita na força policial e na hora que ela precisa, aciona a gente. Trabalhamos para que a resposta da solicitação seja a mais rápida possível, às vezes também, não é caso de emergência policial, é uma denúncia, e nisso informamos a forma e local correto que a pessoa deve ser encaminhada”, afirmou.

CELERIDADE E ECONOMIA – Para a secretária da SESP, Giuliana Castro, os benefícios dessa integração são enormes para a população. “Um exemplo prático desta integração é o caso de vítima de arma de fogo, durante uma ocorrência, quando não se sabe se o agressor continua por perto, tanto a equipe do Samu, quanto a PM vão juntas para que o atendimento seja realizado em segurança para a população e para a equipe”, ressaltou.

Além da dinâmica no atendimento, o serviço economiza tempo e recursos públicos. “A equipe do Ciops está preparada para atender e filtrar a necessidade de cada ocorrência enviando ao local o socorro necessário. Ao fazer a chamada, o usuário poderá ser atendido por qualquer força e nisso ele economiza tempo. Para as centrais de regulação, a integração irá preconizar tempo e até mesmo economizar, por exemplo, o combustível, pois vai evitar que duas forças vão para a mesma ocorrência”, disse Giuliana Castro.

0
0
0
s2smodern

logo JRH down