Avaliação do Usuário

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa
 

Um relatório sobre a crise migratória de venezuelanos em Roraima traz reflexos nos sistemas públicos de Saúde e Segurança. O documento foi apresentado e entregue pelo presidente do Parlamento Amazônico, deputado Coronel Chagas (PRTB), terça-feira, 6, ao presidente Michel Temer (MDB), em audiência esta semana em Brasília.

Segundo dados da Polícia Federal, atualmente existem 54.764 venezuelanos em Roraima. “É um número muito grande, e isso está provocando uma demanda por serviços públicos no Estado, que não tem condições de atender de maneira eficaz os roraimenses e nem toda essa população de venezuelanos. Esses números podem ser ainda maiores, porque muitos entram em Roraima, mas não solicitam o pedido de refúgio na Polícia Federal”, afirmou Coronel Chagas.

O relatório diz que em 2016, segundo dados da PF, 74.613 venezuelanos entraram e 68.523 saíram de Roraima. Em 2017 foi registrada a entrada de 79.933 e a saída de 41.488. Somente no mês de janeiro deste ano já chegaram ao Estado 15.108 venezuelanos e no mesmo período saíram 5.708.

O parlamentar entende que é preocupante a situação vivida pelos venezuelanos que estão passando uma crise humanitária, em razão de questões políticas, econômicas e financeiras, fazendo com que milhares de pessoas atravessem as fronteiras da Venezuela procurando melhores condições de vida nos países vizinhos.

“Mas temos que entender também o que passam nossa população e o Estado que no momento não tem infraestrutura para oferecer qualidade nos atendimentos. Se faz necessário uma solução urgente para essa problemática”, ressaltou o deputado.

Com a chegada em massa de venezuelanos ao Estado, o relatório aponta que na área de Saúde, em 2016, foram atendidos nas unidades de emergência 7.457 estrangeiros, enquanto no ano seguinte foram 18.241. “É um impacto nos serviços públicos, principalmente na saúde, sem contar na rede pública de ensino que são milhares de pedidos de vagas, uma disputa com crianças e jovens roraimenses”, ressaltou Coronel Chagas.

Sobre essa questão da migração venezuelana, Coronel Chagas afirmou que é de responsabilidade da União. “O Governo Federal tem os recursos e os meios necessários para fazer frente a uma demanda dessa envergadura, porque Roraima sozinho não tem condições. Quando detalhamos os números, conforme dados da Saúde, da Segurança Pública e da Polícia Federal, e quando ele observou o número de venezuelanos que chegaram em janeiro deste ano e a questão escolar, o presidente Michel Temer se mostrou surpreso e preocupado, e disse que o Governo Federal está tomando providências”, contou.

0
0
0
s2smodern

logo JRH down