Avaliação do Usuário

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa
 

Procedimento foi realizado a 35 mil pés de altitude com a aeronave sobrevoando o Amazonas

Há 14 anos no Corpo de Bombeiros Militar de Roraima a tenente Monic Soares viveu na madrugada desta quarta-feira (27), uma experiência única. Ela e a subtenente Odilene Marques ajudaram a médica Fabrícia Freitas num parto realizado a 35 mil pés de altitude, durante o voo LA 4657, da Latam, que saiu da Boa Vista pra Brasília, mas precisou mudar a rota e pousar no Aeroporto Eduardo Gomes, em Manaus, para que a mãe e o bebê fossem encaminhados para uma unidade hospitalar.

Com experiência de muitos anos no trabalho de resgate, Monic Soares explicou que já auxiliou em alguns partos, mas esse caso foi marcante. “Realmente, esse foi diferenciado, lindo e emocionante. Não tínhamos os equipamentos necessários. Foi tudo improvisado. As pessoas se solidarizaram, oferecendo lençóis e aplaudiram quando nasceu uma menina forte e saudável. Posso dizer que das ocorrências de parto que já atendi, essa foi, sem dúvida, a mais emocionante. Senti a presença de Deus”, disse.

Ainda conforme a tenente, apesar do fato inusitado, foi tudo tranquilo. “Tinha uma médica a bordo, a pediatra Fabrícia Freitas, roraimense formada no UFRR (Universidade Federal de Roraima), e a subtenente Odilene Marques, que também estava no voo. Isso facilitou tudo”, afirmou.

A grávida, Yusmary Nal, venezuelana, de 36 anos, que estava indo sem acompanhante para Porto Alegre, capital do Rio Grande do Sul, foi mãe pela segunda vez. “Ela estava tranquila. Depois das contrações, o processo foi rápido. Aconteceu na poltrona onde a parturiente estava. A criança, uma menina, nasceu às 4 horas da madrugada. O que demorou foi para expelir a placenta”, disse a tenente, ressaltando que, mesmo sem os instrumentos médicos necessários, os procedimentos foram realizados cuidadosamente.

Segundo Monic Soares, a aeronave sobrevoava o Estado do Amazonas quando a passageira entrou em trabalho de parto e o piloto resolveu retornar para Manaus e fez um pouso de emergência. Mãe e filha foram recebidas pela equipe do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) e levadas para um hospital.

O comandante-geral do Corpo de Bombeiros, coronel Doriedson Ribeiro, ressaltou que a corporação é treinada para auxiliar em qualquer circunstância. “É o nosso ofício. Estamos 24 horas prontos para atender à população, em qualquer situação, independente de estarmos de serviço ou não”, afirmou.

“Parabenizo as nossas bombeiras, tenente Monic Soares e subtenente Odilene Marques, que prontamente assumiram a ocorrência, em conjunto com a médica Fabrícia Freitas, e conduziram o trabalho de parto em pleno voo”, disse o comandante.

0
0
0
s2smodern

logo JRH down