Avaliação do Usuário

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa
 

A entidade realizou um levantamento de preços e dá dicas para a hora das compras; a lista completa pode ser conferida no site da Assembleia Legislativa

Com a aproximação de mais um ano letivo, papelarias e lojas acabam sendo destino certo de pais que precisam adquirir o material escolar que os filhos usarão em 2019. Para ajudar os consumidores a economizar e fazer a escolha certa, o Procon Assembleia fez um levantamento de preço de itens escolares em papelarias da capital.

Foram encontradas variações consideráveis nos preços de vários itens. Um mesmo apontador de lápis, por exemplo, pode ser comprado R$ 0,25 a R$ 040. Já o preço de uma borracha branca pequena é de R$ 0,75 a R$ 1,00. Já a caixa de lápis de cor com 12 unidades variou de R$ 3,00 a R$ 4,50. O caderno simples, de capa dura com 96 folhas, foi encontrado de R$ 7,50 a R$ 8,90.

Segundo a diretora do Procon Assembleia, Eumária Aguiar, o levantamento de preço foi feito em papelarias do centro e da zona Oeste da cidade. “É indispensável e essencial que o consumidor pesquise em diversos locais, item por item, para verificar qual o estabelecimento atende suas expectativas com economia e qualidade. Outra forma de economizar é reaproveitar materiais não usados como hidrocor e lápis de cor”, orientou.

A publicação da lista completa de material está disponível no portal da Assembleia Legislativa ( www.al.rr.leg.br/ ).

Confira dicas para economizar na compra do material escolar:

1 - Faça contas e planeje seu orçamento

Independentemente da forma de pagamento usada na compra do material escolar, à vista ou parcelado, é fundamental entender o valor da quantia que será gasta. Pagar à vista é preferencial até para angariar mais desconto, mas como nem sempre é possível, o importante é planejar o valor da prestação que pode ser assumida para não “corromper” o orçamento.

2 - Pesquise os preços em pelo menos três lojas

A internet é uma grande fonte de consulta de preços e o tempo, um aliado. A sugestão é usar a internet como base de pesquisa, mas sem deixar de consultar as lojas físicas. É nelas, aliás, que é possível negociar mais descontos, diferente das compras on-line. O ideal é ter pelo menos três orçamentos.

3 - Antecipe as compras

Quem puder antecipar as compras de material escolar para dezembro e aproveitar esta “entressafra” pode ser dar bem. Nesta época o foco são os presentes de Natal e ainda é possível encontrar itens escolares em promoção. No início do ano, eles costumam ser mais caros. Além disso é possível utilizar parte do décimo terceiro para adquirir estes produtos.

4 - Analise a lista fornecida pela escola

A escola pode fornecer a lista de materiais que será usada ao longo do ano, mas não pode exigir que ela seja comprada na própria unidade. O consumidor tem o direito de comprar onde desejar. Também fica proibida a exigência de qualquer produto de uma determinada marca, materiais de limpeza e itens de uso coletivo.

5 - Fuja dos produtos licenciados e itens “fofinhos” de papelaria

Esta é uma das armadilhas que encarecem a lista, por isso, levar as crianças na hora da compra é completamente desaconselhado. Para se ter ideia, um caderno com tema de personagens pode custar até cinco vezes mais que um básico.

*Com informações do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor

0
0
0
s2smodern

logo JRH down