jrh log
ANO XIV - 1º jornal 100% online de Roraima desde 2014


Avaliação do Usuário

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa
 

Por ter vivido de perto o luto de perder um amigo para o suicídio, a administradora Dilzevane dos Santos decidiu participar do Processo de Seleção de Voluntários do Centro de Valorização da Vida (CVV), cujo trabalho foi iniciado na segunda-feira (22/7). A seleção ocorrerá até sexta-feira próxima, no auditório do Inan - Instituto de Antropologia, da Universidade Federal de Roraima, no campus Paricarana, bairro Aeroporto.

Para Dilzevane, muitas pessoas estão vulneráveis a situações que acontecem no dia a dia e o CVV é um meio pelo qual elas podem encontrar ajuda. “Já me deparei com situações em que pessoas tiraram sua vida e, por isso, senti que preciso ajudar. Tenho certeza que irá contribuir muito para mim e para quem ajudarei”, comentou.

2407 Dilzevane dos Santos CVV0A administradora relata ainda a experiência de perder um ente querido. “Só quem já viveu isso de perto pode ter noção, e, olhando de fora, conseguimos entender um pouco da situação de quem está do outro lado da linha. A partir daí encontramos as palavras certas para evitar que pessoas não cheguem ao ponto de cometer o suicídio”.

Próximo de completar um ano como voluntária, a administradora Márcia Sousa explica a satisfação em fazer parte do Centro. “Ajudamos pessoas a se sentirem acolhidas. Atendemos, não necessariamente, quem tem tendência ao suicídio, mas quem simplesmente precisa conversar e desabafar”, frisou.

O responsável pelo processo de seleção, Danilo Santos, destaca que, durante a semana, os candidatos terão aulas teóricas e práticas. “Esse é um processo muito básico que a ONG exige. O próprio curso já é também o processo seletivo, onde discutimos algumas questões e finalizamos com uma aula administrativa, na qual será aplicada a avaliação”.

CVV – O Centro de Valorização da Vida existe há 57 anos no país. Além dos acolhimentos emocionais por meio do número 188, o CVV também realiza atendimentos pelo site www.cvv.org.br. As ligações são sigilosas, e o número funciona 24h por dia, sem nenhum custo.

A Assembleia Legislativa de Roraima é parceira da ONG - Organização Não Governamental, que funciona no prédio da Procuradoria Especial da Mulher, localizado na av. Ville Roy, nº 5717, no Centro.

0
0
0
s2smodern

logo JRH down