Avaliação do Usuário

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa
 

O procedimento endoscópico é feito, segundo os especialistas, Victor Dib e Adriano Picanço, sem cortes e o paciente recebe alta no mesmo dia

De acordo com a Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica (SBCBM), o número de cirurgias por esse método realizadas no Brasil cresceu 29,3% em 10 anos. Em 2006, os números eram de 29,5 mil cirurgias realizadas por ano, já em 2016, chegou a 100.512 procedimentos.

Segundo o cirurgião bariátrico, Victor Dib, o aumento no número de procedimentos pode estar relacionado ao crescimento da obesidade no Brasil e também com as novas regras do CFM – Conselho Federal de Medicina para realização de cirurgia bariátrica. O Conselho ampliou de 6 para 21 o número de doenças associadas à obesidade que podem levar a indicação da cirurgia bariátrica.

A cirurgia bariátrica apresenta índices superiores a 90% de melhora em quadros de diabetes, asma, incontinência urinária, hipertensão, doenças do refluxo gástrico e a apneia do sono.

Entre os vários métodos para tratar a obesidade, há o recém-chegado método de sutura endoscópica, um avanço na especialidade, que beneficia os pacientes que optam por um tratamento menos agressivo para diminuição da obesidade.

“As vantagens da sutura endoscópica é que o procedimento se demonstra menos invasivo e sem incisões cirúrgicas, rápido (40 a 60 minutos), alta hospitalar no mesmo dia, menor risco de complicações após o procedimento, índice de perda de peso corporal entre 20% a 30%, baixo índice de complicações”, explicou o cirurgião Adriano Picanço.

A terapêutica endoscópica, atualmente chamada de endoscopia bariátrica, tem um papel importante tanto como tratamento da obesidade, como terapia coadjuvante ao tratamento clínico e ainda como tratamento das complicações cirúrgicas. Mais informações sobre o método podem ser obtidas pelo site www.institutovictordib.com.br  ou pelo telefone 92-9182-0929.

0
0
0
s2smodern

logo JRH down