Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

O presidente da Guiana, David Granger, acredita que a mudança pode fortalecer as relações econômicas com o Brasil

A cidade de Lethem, localizada na Guiana, fronteira com o Brasil pelo município de Bonfim (RR), foi declarada pelo presidente da República da Guiana, David Granger, como a capital do Distrito de Alto Takutu–Alto Essequibo. O evento ocorreu sexta-feira (20/10), como parte da programação da ‘Semana da Cidade’, e contou com a presença do titular da Secretaria de Extraordinária de Relações Institucionais de Roraima, Frederico Linhares.

Em 21 de outubro de 2015, o presidente David Granger identificou Lethem, que pertence ao Distrito 9, conhecido como Alto Takutu-Alto Essequibo, como uma cidade com potencial para se tornar capital. A localidade é um ponto central, que concentra atividades econômicas e culturais. Lethem se tornou a nona capital da Guiana, seguida das cidades de Bartica e Mabaruma, que conquistaram o status de capital em 2016. As outras 6 existentes são: Anna Regina, Corriverton, Georgetown, Linden, New Amsterdam e Rose Hall.

O secretário Frederico Linhares destacou que Lethem ter se tornado uma capital é de valor estratégico para Roraima. “A partir de agora, Lethem ganha importância, ganha poder e vai dedicar orçamento do governo guianense para infraestrutura. O presidente afirmou que quer estradas e investir em infraestrutura. Para isso, o comércio e a parceira com o Brasil são fundamentais. Agora, teremos uma relação cada vez mais estreita com o povo da Guiana e o comércio se torna uma porta de entrada para os produtos brasileiros por meio de Roraima”, declarou.

Para o presidente da Guiana, David Granger, a relação com o Brasil é de grande relevância. “A mais larga fronteira da Guiana é com o Brasil, com mais de 1,2 mil quilômetros de extensão. Mantemos uma relação muito boa e cordial. Existem militares brasileiros nas Forças Armadas guianenses. Há também um frequente intercâmbio entre Brasil e Guiana. Respeitamos o Brasil por ser o maior país do continente sul-americano e pela relação amigável que sempre tivemos”, disse.

Quanto à região do Rupununi, onde a cidade de Lethem está localizada, Granger explicou que é a maior da Guiana. Ele também frisou a importância do país para a América do Sul e a relação com o Brasil. “Nós somos a porta de entrada do Caribe para a América do Sul. Somos o único país que tem o Inglês como língua oficial no continente. Quando se trata de Roraima, temos uma importância estratégica e uma relação próxima. Damos boas-vindas a investidores brasileiros. Há brasileiros na indústria de mineração de ouro em Georgetown. Também mantemos uma relação quanto à comercialização de produtos alimentícios brasileiros”, pontuou.

O presidente da Guiana afirmou ainda que a relação vai muito além dos investimentos econômicos. “Na região do Rupununi, de tempos em tempos, a população sofre com secas, enchentes, e o governo brasileiro auxilia com a construção de poços e em outras áreas. Espero que esse contato se desenvolva cada vez mais com Lethem se tornando uma capital. O Brasil faz parte do grupo político e econômico BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) e é um dos países mais industrializados do mundo. Investimentos são sempre bem-vindos”, detalhou.

0
0
0
s2smodern

Boa Vista

PUBLICIDADE

bcathedral

logo new