Quinta, 10 Novembro 2016 13:54

Comitiva de Roraima vai à Guiana para discutir desenvolvimento regional

Escrito por

1011 Eduardo Ostreicher Boa VistaComitiva formada por representantes do Poder Público e do setor produtivo de Roraima se desloca na próxima segunda-feira, 14, à Georgetown, Capital da Guiana, onde permanecerá até quarta-feira, 16, para participar de reuniões, com debates sobre temas considerados relevantes para o desenvolvimento regional. No encontro será apresentado o Estudo de Mercado relativo à pavimentação da estrada Lethem-Linden e à construção de um porto de águas profundas na região de New Amsterdam, naquele País.

Entre os assuntos a serem debatidos por autoridades e empresários brasileiros e guianenses, durante os encontros, estão: regulamentação sanitária para o trânsito e importação de produtos agropecuários pela Guiana; arrendamento de terras por empresários brasileiros, ou em parceria com investidores guianenses, para empreendimentos agropecuários no país vizinho e a consolidação do Acordo de Transporte Internacional de Passageiros e de Cargas, pendente desde 2011.

De acordo com o diretor do Departamento de Comércio Exterior (Decoex), da Secretaria Estadual de Planejamento e Desenvolvimento (Seplan), Eduardo Oestreicher, a organização das reuniões tem o apoio do Consulado da Guiana em Roraima e da Embaixada do Brasil em Georgetown. Foram convidados representantes dos Ministérios da Agricultura brasileiro e guianense, dos Ministérios de Infraestrutura e das Comunidades da Guiana, do Gabinete da Presidência da República daquele País, o embaixador brasileiro em Georgetown, Lineu de Paula, e o embaixador da Guiana em Brasília, George Talbot.

Também foram convidados, representantes da Receita Federal, da Suframa (Superintendência da Zona Franca de Manaus), do 6º BEC (Batalhão de Engenharia e Construção) e de entidades representativas de classe, entre elas, a Fecomércio (Federação de Comércio de Roraima), as Federações da Indústria de Roraima e do Amazonas e o Go- Invest (Gabinete da Guiana para o Investimento).

Conforme Oestreicher, a agenda da comitiva começa na terça-feira, 15, com encontro sobre as matérias levadas pelo grupo brasileiro. “Vamos discutir a questão sanitária, pois, com a nossa produção agropecuária saindo pela Guiana, precisamos cumprir a regulamentação daquele País e saber o que é solicitado de certificação sanitária desses produtos, seja para a venda no território deles ou para o trânsito em direção a outros Países. Essa discussão não se resume ao corredor logístico, mas se aplica a outro item em debate: o arrendamento de terras para plantio ou criação de animais, por meio de alianças com empresas de lá. Teremos de verificar também a proteção sanitária para esses investimentos”, explicou.

Outro assunto a ser debatido entre autoridades brasileiras e guianenses é o Acordo de Transporte Internacional de Passageiros e de Cargas. Esse documento foi aprovado pelo Congresso Nacional brasileiro em 2011, mas a Guiana constatou que os preços dos seguros estavam mais altos do que os praticados no País e solicitou ao Brasil uma revisão para redução dos valores. Apesar de o Parlamento brasileiro ter feito a correção e aprovado o novo texto, segundo Eduardo Oestreicher, a situação está pendente, porque ainda não houve análise e aprovação pelo Congresso da Guiana. “Essa comitiva tem a intenção de levar temas como esse para as mesas de debates, a fim de solucionar questões semelhantes de forma mais rápida”, afirmou.

LEIA também: