Quarta, 16 Março 2016 15:54

Projetos de prevenção primária no Bairro Senador Hélio Campos

Escrito por

“Coronel Dagoberto Gonçalves, comandante geral da PM, a proposta é que os projetos sejam implantados em várias unidades de ensino

1603 Cmt da PMRR Cel DagobertoO Governo de Roraima, por meio da PMRR (Polícia Militar de Roraima) vai realizar projetos de prevenção primária no bairro Senador Hélio Campos. A solenidade de lançamento acontece no sábado, dia 19, às 10 horas, na Escola Estadual Elza Breves, no Conjunto Cidadão. A ação será coordenada pela CIPCOM (Companhia Independente de Policiamento Comunitário).

Durante o evento será empossado o Conseg (Conselho Comunitário de Segurança) do bairro Cidade Satélite, apresentada a equipe da patrulha de policiamento preventivo “Maria da Penha” e também expostas às ações realizadas pela Polícia Comunitária do bairro Senador Hélio Campos.

Os projetos de prevenção primária são de iniciativa do Programa de Polícia Comunitária e serão desenvolvidos em parceria com a Escola Estadual Elza Breves. Inicialmente, serão desenvolvidos os projetos ‘Picasso não Pichava’, ‘Mediador Mirim’ e ‘Bom de Bola Nota 10 - Rei na Escola’. Todos os projetos têm como objetivo principal desenvolver ações sociais com as crianças e os adolescentes, evitando assim que eles se envolvam com a violência e a criminalidade.

Segundo o Comandante Geral da PMRR, coronel Dagoberto Gonçalves, o projeto é piloto e será desenvolvido dentro das escolas. A proposta é que seja implantado nos demais estabelecimentos de ensino estaduais.

“Essa é uma continuidade das atuações do Programa de Policiamento Comunitário, que vem desenvolvendo um trabalho de prevenção no bairro. As ações sociais são desenvolvidas com base na problemática de cada região e poderão ser ampliados ou adaptados conforme necessidade” esclareceu o comandante.

Conforme o comandante da CIPCOM, major Miguel Arcanjo, O público alvo dos projetos são as crianças e os adolescentes na faixa etária de 12 aos 15 anos, estudantes do período matutino da escola Elza Breves, que foram selecionados com base nos possíveis riscos de vulnerabilidade social ao qual podem estar submetidos.

“Para frequentarem os projetos, os alunos deverão preencher critérios como ser voluntário, obter boas notas, ter boa conduta moral, ser exemplo para os demais colegas, demonstrar disciplina, ser assíduo na escola e nos projetos. Porém, caso seja percebido desinteresse, serão desligados e dada a oportunidade para outros alunos que estão na lista de espera” informou.

Os projetos buscam minimizar os impactos de violência e de criminalidade e contribuir na construção do contexto social das comunidades, visto que a prevenção é mais barata e menos traumática que a repressão.