Avaliação do Usuário

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa
 

Autoridades se reuniram para acertar detalhes da investigação já em andamento desde semana passada

A Polícia Civil de Roraima (PCRR) e Polícia Rodoviária Federal (PRF) formalizaram uma união investigativa para elucidar a morte do agente da Polícia Rodoviária Federal Ivo Seixas Rodrigues, fato ocorrido sábado (7) à noite em um hotel na Avenida Benjamin Constant, centro da capital, durante uma abordagem policial, em repressão ao tráfico de drogas.

Os entendimentos foram firmados pelo Delegado Geral da Polícia Civil, em exercício, Marcos Lázaro, e o corregedor da instituição, Herbert Cardoso; o superintendente da PRF, Igo Brasil e o corregedor daquele órgão, Constantino da Costa.

Segundo Igo Brasil, superintendente da PRF a reunião ocorreu no intuito de elucidar todos os fatos relacionados ao caso, pois a Policias Civil e Rodoviária Federal têm um histórico de ações conjuntas.

“A gente não pode permitir que casos isolados sejam prejudicais a qualquer uma das instituições. E nós estamos contando com o apoio da corregedoria da Polícia Civil para elucidar todos os fatos. Assim como nós também temos uma investigação preliminar na nossa corregedoria para verificar a situação do PRF”, afirmou o superintendente Igo.

O corregedor geral da PRF, Constantino da Costa, disse que ao tomar conhecimento de um possível envolvimento do agente da PRF com tráfico de entorpecente, prontamente se deslocou para Boa Vista.

“O que nós queremos é que tudo seja esclarecido e apresentado à sociedade, e também que não se crie uma animosidade entre as instituições. Sabemos que erros podem ser cometidos tanto por uma instituição, quanto por outra, mas isso não pode macular toda uma interação que existe, pois só a sociedade teria a perder”, ressaltou.

A corregedoria da PCRR também acompanha de perto a investigação. “Presenciamos a lavratura do auto de prisão em flagrante, verificamos o material apreendido e vamos apurar a conduta dos policiais civis para saber se teve algo que foge dos padrões da PCRR. Tudo será apurado, após a conclusão dos laudos periciais e se houver, a gente vai responsabilizar cada um na medida da sua culpabilidade”, afirmou o corregedor da PCRR, Herbert Cardoso.

“Foi uma reunião importante e necessária, pois são instituições parceiras que irão enfrentar a situação delicada, com muita seriedade, firmeza e responsabilidade”, finalizou o delegado geral adjunto, Marcos Lázaro.

0
0
0
s2smodern

logo JRH down