Avaliação do Usuário

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa
 

A Polícia Civil de Roraima tomou conhecimento, por meio de ocorrência registrada pela Polícia Militar, do homicídio de Maurício José Gomes da Silva, 59 anos, ocorrido na madrugada deste domingo, 3, em um quarto de hotel na Avenida Benjamin Constant, Centro de Boa Vista.

Segundo o ROP (Relatório de Ocorrência Policial), um funcionário do hotel ouviu a confusão no local e foi saber do que se tratava, chegando ao quarto 111, onde a vítima estava hospedada, encontrou os pertences de Maurício revirados e ele com mãos e pés amarrados e um pano dentro da boca.

O auxiliar parlamentar se recuperava de um AVC (Acidente Vascular Cerebral) e, com ajuda de amigos, doações e venda de feijoadas arrecadava algum dinheiro para se manter e comprar medicamentos. Esta quantia arrecadada seria a motivação do crime.

O casal de venezuelanos soube que Maurício estava com o dinheiro no quarto e decidiu roubá-lo. A vítima ainda resistiu e lutou com os dois, mas, por estar debilitado pela doença, foi subjugado, amarrado e amordaçado pelos imigrantes, que roubaram não só o valor em dinheiro, mas o aparelho celular e vários outros pertences de Maurício.

As investigações constataram que um dos criminosos, a mulher Franyelis Del Carmen Carvajal Rengel, já tem passagem pelo crime de furto qualificado cometido em 29 agosto de 2017, pelo qual foi presa em flagrante no primeiro DP (Distrito Policial), sendo posteriormente o flagrante convertido em prisão preventiva.

Logo depois, Franyelis foi solta pela justiça, em 1º de setembro. Entre os pertences dela, foi encontrada uma GRU (Guia de Recolhimento da União), documento emitido pela Polícia Federal para pagamento de taxa. Já o homem com quem ela estava foi identificado como Michael Veliz e também está foragido.

O IML (Instituto Médico Legal) constatou que a causa da morte de Maurício foi asfixia mecânica e, logo que o casal venezuelano foi identificado, as equipes de Polícia Civil e Militar iniciaram diligências para que o mais rápido possível os estrangeiros sejam localizados e presos pelo crime latrocínio, roubo seguido de morte.
A Polícia Civil pede que a população contribua com a investigação, repassando quaisquer informações sobre o casal de venezuelanos pelo número 190, sendo garantido o sigilo da fonte.

0
0
0
s2smodern

logo JRH down