logo jrh

Boa Vista - RR, Quinta-feira, 23 de maio de 2019

Avaliação do Usuário

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa
 

Todos os envolvidos vão responder pelo artigo 171 e 71 do Código Penal, estelionato continuado, e no artigo 66 do Código de Defesa do Consumidor, caracterizando crime de afirmação falsa

A Polícia Civil de Roraima indiciou, quarta-feira (26), 7 pessoas por crime de estelionato. Elas eram responsáveis por 5 empresas que atuavam na venda de passagens aéreas utilizando milhas. O trabalho durou aproximadamente um ano e teve por base a investigação de 141 Boletins de Ocorrência, alguns com até 10 vítimas.

Segundo o titular da Delegacia de Defesa do Consumidor, Glauber Lorenzini, a primeira empresa denunciada com a venda de passagens aéreas foi a Shekinah, em outubro do ano passado. Ele informou que 2 pessoas foram indiciadas, a dona da empresa, Gleyciane Souza de Oliveira e o vendedor Anderson Lima dos Santos.

Na segunda empresa investigada, a Ramos Tur, foi indiciado João Ramos do Nascimento Júnior. A Polícia Civil indiciou também Kayla Nogueira Souto, Yuri Brito Vieira e Lailson Rodrigues Santana, responsáveis pela terceira empresa, a Voe Certo.

A quarta empresa investigada, Viagens & Cia, foi indiciado Anderson Lima Santos, responsável pelo empreendimento. Na quinta empresa, a Smart Travel, foi indiciado Thiago Sales Pereira.

Conforme a Delegada Geral da Polícia Civil, Giuliana Castro, os indiciamentos de todos os acusados, é uma resposta da Polícia a todas as pessoas que foram prejudicadas e que não conseguiram viajar.

“Além do prejuízo financeiro, as vítimas tiveram inúmeros transtornos. Por isso pedimos que as pessoas registrem os boletins de ocorrências para que os culpados sejam devidamente punidos na forma da lei”, disse.

Todos os envolvidos vão responder pelo artigo 171 e 71 do Código Penal, estelionato continuado, e no artigo 66 do Código de Defesa do Consumidor, caracterizando crime de afirmação falsa. Os sete indiciados vão responder em liberdade, vez que não preencheram os requisitos legais para o pedido de prisão preventiva no momento.

TRABALHO EDUCATIVO E DE PREVENÇÃO – A Polícia Civil por meio da Delegacia de Defesa do Consumidor montou um cadastro policial de visita a pequenas empresas que realizam este tipo de venda. Segundo o delegado Glauber Lorenzini, este trabalho educativo e preventivo é uma forma de inibir práticas irregulares envolvendo a venda de passagens por milhas.

“Os próprios empresários que trabalham sério, estão agradecendo a nossa iniciativa, pois a atuação de pessoas mal intencionadas denigre a imagem de todos”, observou o delegado. Glauber Lorenzini informa que a equipe de policiais da DDCON está disponível para atendimento aos consumidores que tiverem dúvidas em relação a este fornecimento de passagens aéreas por meio de milhas.

“É importante orientar ao consumidor que preferencialmente efetuem as comprar das passagens com quem tem os aviões. Ou seja, as empresas que oferecem efetivamente o transporte aéreo. Caso isso não seja possível, que tentem comprar das agências intermediárias, mais tradicionais no mercado e não com pessoas que acabaram de abrir uma loja. É importante checar também as referências dessas pessoas”, declarou Lorenzini.

Ainda segundo o delegado, “existem pessoas sérias, mas parte do nosso trabalho da Polícia Civil é retirar as pessoas mal intencionadas deste mercado e deixar os profissionais que agem de forma correta trabalhar tranquilo, porque isso prejudica o negócio”, afirmou.

Novos casos estão sendo investigados, por meio de boletins de ocorrência registrados mais recentemente, e novos indiciamentos devem ser realizados a qualquer momento. A Delegacia de Defesa do Consumidor fica localizada na avenida Getúlio Vargas, 2098, Canarinho, dentro da Cidade da Polícia, em frente a Delegacia Geral.

0
0
0
s2smodern

logo JRH down