Avaliação do Usuário

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa
 

O deputado Coronel Chagas (PRTB), mentor da criação do Colégio Militar de Roraima em 2011, voltou à temática em pronunciamento na Assembleia Legislativa, manhã desta terça-feira, 6, para comunicar que fez uma indicação ao governo do estado, sugerindo que seja feita uma licitação para aquisição de uniformes a serem distribuídos aos alunos das escolas estaduais militarizadas, atualmente em número de 18 unidades na capital e no interior do estado.

Como esclareceu o parlamentar essas unidades militarizadas que vêm se somar ao pioneirismo do Colégio Militar Coronel Derly Luiz Vieira Borges, adotando um projeto pedagógico diferenciado, atende 25% do alunado do estado, o equivalente à aproximadamente 20 mil discentes. Chagas acredita que R$ 10 milhões são suficientes para a aquisição dos fardamentos, haja vista que cada kit está em torno de R$ 500,00.

“Visitei algumas escolas dos bairros afastados do centro de Boa Vista e do interior do estado. Senti nos pais, e nas crianças que lá estudam, uma alegria muito grande. Por outro lado, há uma preocupação, de significativa parcela desses pais, com a aquisição do uniforme”, comentou o deputado Coronel Chagas. Destacou ainda que uma das essências do ensino militarizado é o uniforme, é calça diferenciada, o sapato, a boina, a camisa e isso tem preço.

As escolas militarizadas têm atraído a atenção de centenas de famílias, sobretudo por constatar a eficiência do aprendizado e na transferência de responsabilidades, tornando o aluno mais integrado e cumpridores da ordem e do respeito. “Muitas famílias não têm condições de adquirir, o uniforme, pois têm famílias de baixa renda que têm três, quatro filhos estudando nesses colégios”, acrescentou.

Coronel Chagas que analisando esse panorama é que fez a indicação ao governo do estado para que junte esforce junto à Secretaria de Educação e proceda o processo licitatório para aquisição desses uniformes para distribuir com os alunos. Além do uniforme básico, Chagas afirmou ser necessário também o aluno possuir os uniformes de passeio e de gala para as missões e as atividades de ordem cívica, respectivamente.

Ele argumentou ainda que o resultado das escolas militarizadas tem sido positivo, haja vista a posição que alcançaram em níveis nacional e regional. “Essas escolas tiveram a maior nota do IDEB (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) de Roraima e estão em terceiro lugar dentre as escolas da região Norte, o que demonstra que o projeto pedagógico é de excelência e traz resultados”, complementou.

HISTÓRICO – O Colégio Militar de Roraima foi criado em 2011 e implantado em 2012. Ofertando os ensinos fundamental e médio, a instituição de ensino está se consolidando como referência no Estado. A metodologia foi estendida, como projeto piloto, para mais três escolas estaduais da capital: Rittler de Lucena, Elza Breves e Irmã Parodi.

Por ter dado certo, coronel Chagas propôs e o governo do estado sancionou no mês de janeiro a Lei 1225/2018, que dispõem sobre a militarização de mais 15 escolas, as quais já estão adotando a metodologia diferenciada.

Escolas militarizadas em Boa Vista:
1 - Jaceguai Reis Cunha, no bairro Asa Branca
2 - Luiz Ribeiro de Lima, no bairro Equatorial
3 - Maria de Lourdes Neves, no bairro Doutor Silvio Botelho
4 - Maria dos Prazeres Mota, no bairro Santa Teresa
5 - Maria Nilce Brandão, no bairro Cauamé
6 - Pedro Elias, no Jóquei Clube
7 - Conceição Costa e Silva, no bairro Hélio Campos
8 - Wanda David Aguiar, no Raiar do Sol

No interior:
1 - Maria Mariselma, em Mucajai
2 - João Rogélio, em Caracaraí
3 - Antônia Tavares da Silva, em Rorainópolis
4 - João de Azevedo Cruz, em Nova Colina
5 - Cícero Vieira Neto, em Pacaraima
6 - Aldébaro José Alcântara, em Bonfim
7 - Sadoc Pereira, em Alto Alegre

0
0
0
s2smodern

logo JRH down