jrh log
ANO XIV - 1º jornal 100% online de Roraima desde 2014


Avaliação do Usuário

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa
 

A conselheira Cilene Salomão foi empossada na manhã de sexta-feira (4) como presidente do Tribunal de Contas do Estado (TCE) para o biênio 2019-2020. A instituição tem 28 anos de criação e essa é a primeira vez que a única componente feminina do colegiado assume a presidência. Ao participar da cerimônia, o vice-presidente da Assembleia Legislativa, Jânio Xingu (PSL), ressaltou o avanço que representa para o estado ter cada vez mais mulheres no comando das instituições.

“É uma grande evolução ter mulheres ocupando os principais cargos em todos os setores da sociedade. Dessa forma, fazemos valer o que diz a Constituição Federal, que diz que somos todos iguais. Na gestão da conselheira Cilene, a Assembleia Legislativa continuará trabalhando em parceria com o Tribunal de Contas”, afirmou Xingu.

Foram empossados também os conselheiros Manoel Dantas, como vice-presidente, Joaquim Pinto Souto Maior Neto no cargo de corregedor, e Célio Rodrigues Wanderley para comandar a Escola de Contas.

Segundo a conselheira, apesar da escassez de recursos financeiros e humanos, a instituição continuará se desenvolvendo por meio do sistema informatizado e da fiscalização proativa. “Queremos reduzir o passivo processual, implementar avanços tecnológicos iniciados com a implantação do processo eletrônico. Também vamos fortalecer a Escola de Contas como instrumento transformador de posturas administrativas em favor da melhoria da gestão pública”.

Entre as metas da nova gestora está ainda a aproximação entre o TCE e a sociedade, para fortalecer o controle social. “Pretendemos estreitar a atuação de fiscalização com todos os órgãos parceiros na gestão de controle”, disse a conselheira, ao salientar que também estimulará a meritocracia na gestão de pessoas.

O Tribunal de Contas do Estado é um órgão auxiliar do Poder Legislativo, com atribuição de fiscalizar e orientar os gestores na boa aplicação dos recursos públicos, inclusive nos atos e contratos e o acompanhamento da arrecadação da receita. Dispõe de estrutura própria, autonomia financeira, orçamentária, patrimonial e tem atualmente 310 servidores, entre conselheiros, efetivos, comissionados e cedidos no quadro de pessoal da instituição.

0
0
0
s2smodern

logo JRH down