Avaliação do Usuário

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa
 

OS 8 candidatos que concorrem à vaga de conselheiro do TCE-RR (Tribunal de Contas do Estado de Roraima) participaram de uma sabatina na Assembleia Legislativa de Roraima, segunda-feira (18). Cada concorrente teve até 20 minutos para responder aos questionamentos dos parlamentares sobre suas aptidões técnicas para o cargo. A reunião durou cerca de três horas.

Inicialmente, 11 concorrentes estavam inscritos para sabatina, conforme publicação no Diário Oficial do Poder Legislativo do dia 15 de março, no entanto, antes de iniciar a reunião, Maria Dantas Nóbrega e Walker de Oliveira Thomé renunciaram à concorrência.

Por motivo de saúde, João de Carvalho apresentou requerimento para adiamento de arguição, o qual foi indeferido pela Comissão Especial Externa que conduz o processo, conforme relatório da deputada Betânia Medeiros (PV), acompanhado pelos deputados Neto Loureiro (PMB) e Evangelista Siqueira (PT). Na semana passada, o deputado Jorge Everton (MDB) foi o primeiro a retirar a candidatura.

Todos os que continuaram no processo receberam parecer e voto favorável para seguir concorrendo ao cargo. Entre os questionamentos feitos aos participantes, os membros da Comissão Especial Externa perguntaram sobre a motivação para pleitear a vaga, conhecimentos técnicos sobre o trabalho do Tribunal, experiências no serviço público e noções técnicas do cargo.

Na condução, o presidente da Assembleia Legislativa e da Comissão Especial Externa, deputado Jalser Renier (SD), avaliou a defesa curricular de cada candidato. Para ele, os participantes mostraram preparação e conhecimento técnico suficiente. “O conselheiro é um cargo importante, não só por ser vitalício, mas também pela autoridade que tem com as contas públicas e para auxiliar o Poder Legislativo em gerir de acordo com as tratativas e condições financeiras.”

PUBLICAÇÃO - O próximo passo será a publicação dos nomes em edital. Com isso, a Casa terá cinco dias para votação em plenário. “Esse procedimento é disciplinado pelo edital que abriu a disputa. A votação ocorrerá entre terça e quarta-feira [da próxima semana]”, complementou o superintendente Legislativo, Júnior Vieira.

Participaram da arguição os deputados Jalser Renier, presidente da Comissão; Betânia Medeiros, relatora ad hoc; Neto Loureiro; Catarina Guerra (SD); Ione Pedroso (SD); Evangelista Siqueira; Chico Mozart (PRP); Tayla Peres (PRTB); e Nilton do Sindpol (Patri).

O que foi dito por cada candidato na sabatina

1903 Sabatina de candidatos ao TCE Foto Alex Paiva2

Francisco Lima Batista: O economista e advogado Francisco Lima Batista foi o primeiro a participar da sabatina nesta segunda-feira. Alegou ter a experiência necessária para ser conselheiro e, caso seja escolhido, pretende fomentar investimento na área da tecnologia da informação no órgão e unir as Escolas do TCE e do Legislativo em prol da capacitação de servidores e de gestores municipais.

Kildo Pereira de Melo Neto: O administrador reforçou aos parlamentares o extenso currículo com as experiências e qualificações obtidas no serviço público desde os 18 anos de idade. Se sente motivado e capaz de buscar mais capacitações para conquistar a vaga de conselheiro do TCE-RR. Com 35 anos, pretende contribuir com o desenvolvimento do Tribunal e para melhorar o relacionamento com os Poderes.

Francisco José Brito Bezerra: Administrador de empresas, o deputado Brito Bezerra (PP) frisou a pretensão de continuar trabalhando com a fiscalização do dinheiro público e tornar este processo mais transparente, caso seja escolhido. Enxerga o TCE-RR como auxiliar do Poder Legislativo e pretende estreitar mais o laço entre as instituições.

José Lurene Nunes Avelino Júnior: O delegado de Polícia, engenheiro eletricista e bacharel em Direito ressaltou ter mais de 30 anos de experiência no serviço público. Diz ter condições de contribuir com o Estado e ser “braço forte” da Assembleia Legislativa na fiscalização dos recursos públicos.

Mário Souza da Rocha: O administrador e bacharel em Ciências Contábeis falou da experiência em administrar empresas públicas e de ter estado à frente da Superintendência Regional do Trabalho em Roraima. Espera que, se escolhido como conselheiro, ajudar a nortear a Assembleia com prestação de trabalhos técnicos.

Maria Eliane Marques de Oliveira: A advogada disse à Comissão Especial Externa que sempre trabalhou de forma correta nos lugares por onde passou (Tribunal de Justiça, Assembleia Legislativa e no próprio TCE-RR, por exemplo) e diz estar preparada para conduzir o cargo.

Sebastião Ernesto Santos dos Anjos: É funcionário de carreira do TCE-RR como analista administrativo. Para ele, é importante o controle de gastos públicos em prol da população, principalmente quando se trata de Interior do Estado. Afirma que contribuirá, de forma efetiva, em julgamentos e análises das contas públicas.

Gladys Matilde Bueno Brasil: A última sabatinada é contadora e bacharel em Direito. Destaca a necessidade de os conselheiros estarem mais próximos dos gestores municipais. Afirma estar preparada tecnicamente e por conhecer o trabalho do Tribunal.

0
0
0
s2smodern

logo JRH down