jrh log
ANO XIV - 1º jornal 100% online de Roraima desde 2014


Avaliação do Usuário

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa
 

A o diretor da Roraima Energia – empresa responsável pela distribuição elétrica no Estado – afirmou durante audiência pública, ontem, terça-feira (28) na Assembleia Legislativa, que o aumento na conta de energia dos roraimenses e os constantes blecautes são resultado do aumento no consumo e da interrupção no fornecimento pela Venezuela.

O diretor técnico da empresa, Rodrigo Moreira, disse ainda que a solução definitiva é a construção do Linhão de Tucuruí, por meio do qual o Estado passará a integrar o Sistema Interligado Nacional. “Nós estamos na expectativa que essa obra realmente se inicie ainda este ano. Essa será a solução definitiva para Roraima.”

O representante da Roraima Energia explicou que até o último dia 7 de março, a energia transmitida da Venezuela, por meio do Linhão de Guri, era a principal fonte do Estado, que atualmente é atendido exclusivamente por usinas termelétricas. Elas consomem 1 milhão de litros de óleo diesel por dia e produzem uma média de 216 megawatts enquanto o consumo atinge picos de até 230 megawatts.

A empresa já havia informado, em resposta a questionamentos do Procon Assembleia, que devido às altas temperaturas registradas no período seco, o consumidor acaba usando mais os equipamentos como geladeira, freezers, câmaras frias e condicionadores de ar. No entanto, o representante da empresa não soube explicar o porquê de os apagões continuarem mesmo com a chegada do período chuvoso.

“Nosso corpo técnico está avaliando exatamente isso. Por que não é um período quente e não há sobrecarga no sistema e estão ocorrendo as quedas. Nós contratamos um especialista que vem de fora e está chegando hoje em Boa Vista pra gente conseguir sentar e avaliar tecnicamente o que está tirando a usina principal, que é a de Monte Cristo, e aí causa blecaute em todo o sistema”, disse o diretor.

Conta alta - Segundo a empresa, o cálculo das tarifas de energia é estabelecido pela Aneel - Agência Nacional de Energia Elétrica, órgão regulador do setor elétrico. Após o encerramento da audiência, o diretor afirmou que a empresa tentará diminuir os preços das contas de energia. “Faremos uma força tarefa para entender o que Aneel considerou para a tarifa, e ver o que poderá ser feito para diminuir tributos e encargos.

Problema Antigo - A diretora do Procon Assembleia, Eumária Aguiar, relembrou que a discussão da questão energética no Estado é antiga. Segundo ela, antes da interligação com o Linhão de Guri, eram apenas a termoelétricas que abasteciam o Estado. Ela afirma que à época, a ligação trouxe esperança de uma energia confiável e de qualidade com o propósito de trazer investidores para o Estado.

Ela pontuou que se discute agora praticamente o mesmo problema de 18 anos atrás, com a diferença de que agora a proposta é interligar o Roraima com o Sistema Nacional por meio do Linhão de Tucuruí. “Esse não é um problema novo, nós precisamos de solução,” finalizou.

Parlamento - O presidente do Parlamento Amazônico, deputado estadual do Maranhão, Wellington do Curso, afirmou que levará a questão energética do Estado para ser discutida em âmbito nacional. Segundo ele, no próximo mês a questão será abordada em reunião do Parlamento Amazônico em Manaus. “Roraima não está sozinha, precisamos tirar o Estado do isolamento.”

0
0
0
s2smodern

logo JRH down