jrh log
ANO XIV - 1º jornal 100% online de Roraima desde 2014

Avaliação do Usuário

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa
 

A situação da imigração venezuelana e o impacto na rotina de Roraima voltou a ser assunto na tribuna da Assembleia Legislativa na sessão desta quarta-feira (18). O deputado Jeferson Alves (PTB) pediu mais atenção do Governo Federal quanto aos serviços essenciais do aparelho estadual e defendeu que não sejam enviados recursos somente para a Operações Acolhida, conduzida pelo Exército Brasileiro.

“Quero deixar bem claro que não sou contra o Exército Brasileiro, acredito que é uma instituição séria e de conduta inquestionável, sou contra como está sendo feita essa Operação Acolhida”, alertou o parlamentar. Alves criticou ainda a postura do Exército que, segundo ele, retirou venezuelanos das ruas por conta da visita da ministra da Família, da Mulher e dos Direitos Humanos, Damares Alves, nesta quarta-feira (18).

Segundo o deputado, em 19 meses, cerca de R$ 500 milhões foram destinados para atender a Operação Acolhida no Estado. “Se dividir, dá R$ 26 milhões por mês. Se dividir aos 8 mil venezuelanos atendidos pela Operação, dará R$ 3,2 mil por venezuelano”, disse, ao pedir que a aplicação dos recursos seja investigada e que seja dada mais atenção aos brasileiros.

Vários parlamentares foram favoráveis ao discurso do deputado Jeferson Alves, principalmente sobre a necessidade de mais atenção ao provo brasileiro. Em aparte, o deputado Jorge Everton (MDB) falou sobre os problemas existentes no Estado de Roraima devido ao descontrole imigratório. “A criminalidade aumentou, mas não podemos culpar só aos venezuelanos, eles fogem de uma crise, não quero criar situação de colocar contra os venezuelanos, mas os direitos dos brasileiros estão sendo suprimidos”.

O deputado Coronel Chagas (PRTB) falou que o Exército tem feito o possível, mas ressaltou que o Governo Federal deve investir mais nos setores essenciais do Estado. “Propus que criássemos uma força tarefa com todos os Poderes, classe empresarial, para irmos a Brasília e mostrar ao presidente, já que Roraima é a ‘menina dos olhos’, para ele ter a extensão dos números”.

A deputada Ione Pedroso (SD) defendeu a Operação Acolhida e disse que já esteve em Brasília diversas vezes para falar sobre a situação imigratória. “Vem recurso sim para área da Saúde, esse negócio de dizer que não vem é uma farsa”, declarou. “Essa crise imigratória não é de Roraima, é do Brasil”, completou.

Nilton Sindpol, por sua vez, ressaltou a necessidade de um olhar diferenciado para a situação em que passa a Saúde, a Educação e a Segurança Pública em Roraima devido a falta de investimento. Ele criticou a existência de oportunidades aos venezuelanos, que segundo ele, tem deixado de lado as necessidades do povo brasileiro.

0
0
0
s2smodern

logo JRH down